Grande maioria das pessoas acha que CPMF encarece muito o preço dos produtos

Outros 19% acham que a contribuição deixa os itens um pouco mais caros e 1% pensa que ela não altera em nada

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Levantamento realizado pelo Instituto Ipsos a pedido do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) aponta que 69% dos brasileiros acreditam que a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) encarece muito o preço de venda dos produtos que consomem.

De acordo com a pesquisa, realizada entre os dias 21 e 28 de maio em todo o País, outros 19% acham que a contribuição encarece um pouco e 1% pensa que ela não altera em nada os preços.

Percepção maior entre os mais ricos

Considerando os entrevistados das classes A e B, 74% acreditam que a CPMF encarece muito o valor dos produtos consumidos. Já os que pensam que ela encarece um pouco somam 22% e os que acham que ela não altera nada são apenas 1%.

Entre os brasileiros de classe média, os percentuais são de 69%, 23% e 1%, respectivamente. Nas classes D e E os valores são ainda menores (67%, 15% e 1%), sendo que o destaque fica para os 17% que não sabem ou não responderam.

Regiões do País

Para 76% dos pesquisados do Nordeste e 75% do Sudeste, a CPMF encarece muito o preço de venda dos produtos que consomem. No Norte e Centro-Oeste, este percentual é de 44%, e no Sul, de 57%.

E como não poderia deixar de ser, 32% das pessoas do Norte e Centro-Oeste pensam que a contribuição deixa os produtos um pouco mais caros, contra 23% do Sul, 18% do Sudeste e 14% do Nordeste.

Compartilhe