Análise Técnica

Grafista ainda vê Ibovespa em tendência de alta no médio prazo e lista 3 ações

Para Dalton Vieira, analista técnico parceiro da Investmania, tudo depende de como a resistência dos 63.500 pontos for rompida; ele recomenda Arteris, Copasa e  Braskem

SÃO PAULO – A bolsa brasileira está apontando para uma alta nos próximos meses, acredita Dalton Vieira, analista técnico parceiro do Investmania. Mesmo com o Ibovespa formando uma tendência negativa no curtíssimo prazo, o grafista vê espaço para o índice ganhar forças e buscar o topo histórico ainda em 2013 – dependendo de como a resistência dos 63.500 pontos for rompida. 

O rompimento dos 73.920 pontos, a máxima histórica do Ibovespa, é considerado um divisor de águas. De acordo com a teoria do Ciclo Decenal, esse rompimento pode fazer com o índice dispare pelos próximos anos. Mas para isso ocorrer, o índice precisa bater primeiro os 63.500 pontos, na visão de Vieira, o que é possível pelo bom cenário exterior, com os índices norte-americanos próximos de suas máximas históricas.

“Por lá os gráficos estão esticados, podendo passar por uma realização mais forte nesta semana”, alerta Vieira. Depois dessa realização, é capaz que os índices por lá ganhem forças, puxando os daqui também. Embora ele ressalte que a relação entre os dois mercados não seja tão grande assim, isso acaba influenciando o comportamento dos investidores.

Queda recente não muda cenário
A queda desta segunda-feira (28) não altera o cenário de forma significativa: o índice perdeu a faixa inferior na qual estava lateralizado no curto prazo, mas volta a se aproximar 60.000 pontos, patamar segurado no final do ano passado.

O problema pode vir se o índice perder essa região, que também é uma resistência psicológica importante, já que o benchmark pode vir a buscar os 58.000 pontos. 

Para alta ser sustentável, rompimento precisa demorar
A lateralização atual, porém, ainda precisa durar um pouco mais para que a bolsa continue ganhando forças. “Se romper os 63.500 pontos nesta semana, essa alta pode não ter tanta força para buscar o topo histórico nos 73.920 pontos, pode ser que tenha alguma dificuldade perto dos 68.000 pontos”, salienta.

Uma lateralização maior – talvez até agravamento da correção -, acredita o grafista, seria o suficiente para que o índice acumulasse forças para essa tarefa – com o fortalecimento dos compradores para romper a resistência, uma região com muitos vendedores. “Mas o cenário geral aponta para alta, e existe essa expectativa que o nível de preços do mercado pode subir em 2013”, afirma o grafista.

Grafista lista opções
Embora o grafista prefira que isso não ocorra nos próximos pregões semana, ele acredita que três ações terão bom desempenho durante os pregões da última semana do mês de janeiro: Arteris (ARTR3), Braskem (BRKM5) e Copasa (CSMG3), suas favoritas neste momento. 

PUBLICIDADE

“A Arteris teve uma semana muito boa, confirmando um triângulo de alta que pode impulsionar o ativo”, afirma. Assim como o Ibovespa, as ações da empresa de concessões rodoviárias passam por uma lateralização – que no caso da Arteris dura 19 semanas.

O triângulo rompido por ARTR3 é interessante: os topos iam recuando, enquanto o fundo permanecia praticamente inalterado – confirmando a alta depois de um rompimento de um topo anterior, rompendo a figura triangular para cima. “Agora ela está saindo dessa lateralização rompendo uma resistência de dois topos na região dos R$ 20,00, além de estar na máxima histórica”, avalia. 

Assim como a Arteris e o Ibovespa, a Braskem também está saindo de uma zona de indefinição, embora esteja longe de estar próxima de sua máxima histórica.

Enquanto isso, a Copasa sai de uma figura conhecida como triângulo simétrico – em que os fundos e os topos convergem para uma região apertada -, com o rompimento de um topo de anterior. “Ela gerou um pivô de alta e pode gerar oportunidades na próxima semana”, diz Vieira.