Exagero?

Gráfico mostra por que as bolhas imobiliária e das pontocom não têm nada em comum com o Bitcoin

A maior criptomoeda do mundo ainda não é comprovadamente uma bolha, mas já subiu mais que o dobro das duas maiores bolhas recentes

SÃO PAULO – Mesmo com o Bitcoin ganhando mais adeptos – e consequentemente mais força – a cada dia, muitos investidores ainda acreditam que este mercado de criptomoedas nada mais é que uma grande bolha. Mas se isso realmente se tornar verdade, já está bem claro que será considerada a maior bolha da história. E um gráfico mostra o motivo.

A imagem divulgada pelo MarketWatch mostra como a bolha imobiliária dos anos 2000 e das “pontocom” nos anos 1990 demoraram dez vezes mais para não crescer nem metade do que o Bitcoin já cresceu nos últimos dois anos. A comparação entre as três bolhas já comprovadas do mercado americano e a moeda digital parece até injusta se olharmos o gráfico, confira:

“O ponto é que não sabemos se [o Bitcoin] é uma bolha ou não, mas sabemos como as bolhas do passado se parecem. E esta é uma comparação do Bitcoin versus as bolhas passadas”, disse Justin Walters, co-fundador da Bespoke, para o site americano.

Veja também: Guia completo em 5 vídeos ensina o básico sobre como investir em Bitcoin

No gráfico, é possível ver que as duas maiores bolhas dos últimos anos tiveram um “primeiro estouro” cerca de 1.500 dias após terem início, momento em que tinham alta de 1.000%. O Bitcoin, por sua vez, passou agora dos 500 dias de negociação, mas seus ganhos já superam os 2.000%.

A criptomoeda quebrou um novo recorde esta semana, superando os US$ 4.600. Em agosto, o Bitcoin caminha para encerrar com uma alta de cerca de 60%, para ganhos acumulados de mais de 360% até agora em 2017.

Quer aprender mais sobre Bitcoin? Baixe gratuitamente o melhor livro sobre o assunto já escrito no Brasil