Radar InfoMoney

Graça Foster confirma estudo de nova política de reajustes da Petro e “boas reservas”

Também em destaque, está o esclarecimento do programa de recompra de ações pela Abril Educação

SÃO PAULO – A semana começa agitada no cenário corporativo nacional. Em destaque, além das empresas do grupo EBX, de Eike Batista, está a Petrobras (PETR3;PETR4). Em entrevista para o jornal O Globo do último domingo, a presidente da petrolífera, Graça Foster, confirmou que estão em estudo mudanças na política de reajuste de preços de gasolina.

A ideia seria manter a premissa de não passar a volatilidade de preços internacionais para o mercado interno mas, ao mesmo tempo, tornar mais previsível a recomposição no médio prazo para se chegar à paridade entre a cotação dos preços no mercado interno e externo. Contudo, a presidente não definiu prazo para que a política se torne efetiva. 

Sobre as teses para aumento de combustíveis, a presidente da petrolífera destacou que não se trata de conta-petróleo, nem mesmo de dinheiro do governo. Segundo ela, é “para se ter uma previsão ao longo do ano ou ao longo do Plano de Negócios”. Desta forma, é uma equação que leve à manutenção do mercado interno comprador e dê à Petrobras maior previsibilidade ao planejar o orçamento, afirmou. 

PUBLICIDADE

Sobre o prazo para reajuste de combustíveis, Graça destacou que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que que até o final de 2013 é possível que ocorra a alta de preços. 

Graça Foster: Bacia Sergipe-Alagoas apresentou dados relevantes
Vale ressaltar que, na última sexta-feira, a presidente da Petrobras destacou que a Bacia Sergipe-Alagoas apresentou dados relevantes de acumulação de óleo próximo à costa. De acordo com ela, não é possível ainda divulgar o volume, “mas tem bastante coisa”.

“A Petrobras é muito zelosa e não confirma nenhum número. O que a gente diz é que se trata, de fato, de uma nova província petrolífera na Bacia Sergipe-Alagoas, bem em frente a Sergipe. É uma atividade que a gente iniciou há muitos anos, em 2008 veio a decisão de fazer uma investigação bastante detalhada e os resultados que a gente tem tido são muito bons”.

De acordo com Graça, a produção já foi incluída na curva de óleo do Plano de Negócios e Gestão da empresa, com a previsão de entrada de 100 mil barris por dia em 2018, além de um volume de gás “relevante de fato”. Graça explica que em 2016 será iniciado um teste de longa duração no local.

“Tudo indica que esse projeto seja tratado como um projeto integrado, com duas áreas colocadas em produção integrada, que são Muriú e Farfan. É algo em que nós já estamos em uma fase além da expectativa, porque já entrou no plano de negócios e os dados que vieram confirmam que se trata de descobertas relevantes, mais próximas da costa, com variação de 50 a 100 quilômetros da costa, são acumulações diferenciadas. É uma bela descoberta”.

De acordo com a Petrobras, “a campanha de exploração em Sergipe apresentou 16 poços perfurados na área, sendo 13 portadores de hidrocarbonetos. Atualmente, as descobertas se encontram em fase de delimitação”.

PUBLICIDADE

Graça falou com a imprensa dentro das comemorações dos 60 anos da empresa e também abordou os projetos para as refinarias Premium 1 e 2 no Maranhão e no Ceará, que estão em fase de projeto para serem licitadas em março ou abril, a parceria com uma empresa chinesa para a Premium 1 e a construção da Abreu e Lima, em Pernambuco, que está com 80% pronto, e do Comperj, no Rio de Janeiro, com 60% concluído. Sobre o plano de eficiência, implantado há um ano, Graça disse que foi possível aumentar o refino em 196 mil barris por dia apenas com otimizações da produção.

Sobre os 60 anos de Petrobras, Graça disse que a empresa está atualmente em uma situação que ela nunca imaginou que seria alcançada. “Eu vejo a Petrobras hoje, com 60 anos, eu estou nela há mais de 30 anos, nunca imaginei que chegaríamos a ter esse portfólio tão grande, com tantas oportunidades claras, objetivas e materiais. Com esse orçamento que exige uma dedicação muito grande no que se refere a disciplina de capital”.

Graça informou que a empresa não vai precisar fazer novas captações no mercado este ano e que fechou o segundo trimestre com R$ 73 bilhões em caixa. A presidenta da Petrobras informa que estão para entrar em operação nove plataformas, algumas antes do prazo previsto, como a P58 e a P62.

Guepardo Investimentos reduz participação na Triunfo
A Guepardo Investimentos reduziu a participação na Triunfo (TPIS3) para 4,97% do total das ações ordinárias da companhia. Este total corresponde a 8,741 milhões de papéis ONs da empresa.

Celulose Irani aprova aumento de capital
A Celulose Irani (RANI3) aprovou o aumento de capital no valor de R$ 12,918 milhões com a emissão de cerca de 4,63 milhões no valor de R$ 2,79, destinado à subscrição particular pela própria empresa. 

Abril Educação presta esclarecimentos sobre programa de recompra
A Abril Educação (ABRE11) informou, em esclarecimento ao mercado, as quantidades de ações ordinárias e preferenciais objeto do programa de recompra da companhia, bem como sua representação em units.

A companhia informa que poderão ser adquiridas no âmbito do programa de recompra de ações, no máximo, 2.612.577 ações ordinárias e 5.225.153 ações preferenciais na forma de 2.612.577 units, quantidade equivalente a 3% do total de ações. 

(Com Agência Brasil)