“The Future of Flying” 

Recuperação no mercado e Cade podendo aprovar fusão Azul-Latam: as projeções da Gol em seus 17 anos de Bolsa

Analistas destacam que companhia apresentou projeções positivas, ainda que reforcem que o setor aéreo vai permanecer volátil no curto prazo

SÃO PAULO – Em evento chamado “The Future of Flying” ocorrido na última quinta-feira (24), a aérea Gol (GOLL4) passou uma mensagem positiva sobre a recuperação no final deste ano e no começo do próximo, de acordo com analistas que participam do evento. A ocasião foi para celebrar os 17 anos da empresa listada na B3 e na bolsa de Nova York.

O Bradesco BBI destaca três pontos principais do evento apontados pela companhia: 1) uma previsão positiva com a demanda de viagens aéreas se recuperando até o quarto trimestre de 2021 ou o primeiro trimestre de 2022, 2) a companhia tendo acesso aos mercados de dívida e de ações e 3) um modelo de negócios sólido para enfrentar a concorrência.

A Gol aponta que a demanda corporativa doméstica em 2021 deva ficar entre 30% a 40% do que costumava ser em 2019 sendo que, para o primeiro trimestre de 2022, a projeção é de que o mercado corporativo doméstico já estará recuperado. No segundo trimestre deste ano, a Gol operou em média 220 voos por dia, atendendo a 114 mercados; para o segundo semestre, a expectativa é de que a média seja de 500 voos por dia, com 159 mercados atendidos.

Paulo Kakinoff, presidente da Gol, também comentou sobre as movimentações dos concorrentes. De acordo com ele, é difícil especular sobre as possibilidades envolvendo uma possível fusão entre Latam Brasil e Azul (AZUL4). Mas apontou que um eventual acordo seria aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Acho que pode ser aprovado, mas há discussões sobre remédios na mesa”, destacou.

A empresa ainda apontou que está aberta a aquisições, parcerias e outras operações que possam melhorar a sua posição no mercado, embora não tenha dado detalhes sobre alguma negociação em andamento ou a expectativa para o cenário caso a a Azul compre a Latam Brasil. A Gol anunciou a compra da MAP Transportes Aéreos, aérea doméstica com rotas regionais e do Aeroporto de Congonhas em São Paulo, no começo de junho.

Os executivos da companhia ainda avaliaram que o fechamento do capital da Smiles deve ter um impacto positivo na gestão de receitas dado que agora a companhia tem, a partir deste episódio, total controle dos preços das passagens aéreas e dos preços de seu programa de fidelidade.

O Bradesco BBI segue com recomendação neutra para a Gol, com preço-alvo de R$ 24 para o final de 2021, ou queda de 3,15% em relação ao fechamento de quinta-feira.

O BTG Pactual, por sua vez, está mais positivo, com preço-alvo em R$ 31, ou upside de 25,1% frente o fechamento da véspera.

Em relatório, os analistas apontaram que, apesar de avaliarem que o setor aéreo vai permanecer volátil no curto prazo por conta das incertezas sobre uma nova onda de casos de Covid-19, veem a Gol tomando os passos necessários para minimizar a queima de caixa e retomar operações com a vacinação.

PUBLICIDADE

O banco também destaca o plano apontado pela companhia, durante o evento, de encerrar 2021 com 129 aeronaves, recebendo 11 Max da Boeing, o que deve elevar os gastos com eficiência; e os 159 destinos que vai atender no segundo semestre.

De acordo com compilação feita pela Refinitiv com casas de análise que cobrem as ações GOLL4, duas delas têm recomendação de compra, sete de manutenção e duas de venda, com preço-alvo de R$ 24,35, o que corresponde a uma baixa de 1,75% em relação ao fechamento da véspera.

Curso gratuito do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações. Inscreva-se agora.