Impacto da pandemia

Gol tem prejuízo de quase R$ 2 bilhões no segundo trimestre em meio ao impacto do coronavírus

No acumulado do semestre, a companhia aérea tem um prejuízo de R$ 4,212 bilhões, ante lucro de R$ 5,9 milhões entre janeiro e junho de 2019

Com uma queda de mais de 90% no número de passageiros transportados, a Gol (GOLL4) registrou um prejuízo líquido de R$ 1,994 bilhão no segundo trimestre, ante prejuízo de R$ 99,2 milhões em igual período do ano passado. No acumulado do semestre, a companhia aérea tem um prejuízo de R$ 4,212 bilhões, ante lucro de R$ 5,9 milhões entre janeiro e junho de 2019.

Os dados de tráfego aéreo da Gol despencaram no trimestre, refletindo as medidas de isolamento adotadas em diversas regiões para conter o avanço da pandemia da Covid-19, que também levou ao fechamento de fronteiras aéreas. O RPK (passageiros transportados por quilômetro) da Gol foi de 773 milhões entre abril e junho, uma queda de 91,7% na comparação com igual período do ano passado.

A receita líquida operacional da Gol foi de R$ 357,8 milhões, recuo de 88,6% no comparativo anual. Já os custos e despesas operacionais somaram R$ 1,255 bilhão, queda de 55,5%. A margem líquida da companhia ficou negativa em 558,1%, ante número negativo de 6,2% no segundo trimestre de 2019.

PUBLICIDADE

Além da piora do resultado, a companhia aérea também viu uma deterioração da sua dívida. O total de empréstimos e financiamentos chegou a R$ 18,9 bilhões, uma alta de 39,2%. Esse número inclui títulos emitidos no exterior, que foram afetados pela apreciação do dólar, e contratos de arrendamento de aeronaves, também afetados pela variação cambial.

A dívida líquida subiu 44,2%, para R$ 13,48 bilhões. A relação entre dívida líquida e Ebitda UDM pulou de 2,7 vezes para 4,5 vezes.

A companhia informou ainda que espera elevar o número de rotas domésticas atendidas durante o terceiro trimestre do ano, o que poderá melhorar a receita da companhia.

Mesmo com essa recuperação, a Gol espera chegar ao final do terceiro trimestre com uma dívida líquida de R$ 13,8 bilhões, mas com a alavancagem um pouco melhor (4,4 vezes). “Diversas iniciativas importantes são críticas para assegurar que a companhia mantenha a liquidez nos patamares esperados no final do terceiro trimestre”, segundo comunicado ao mercado.

A carreira que mais forma milionários: conheça o primeiro MBA do Brasil totalmente dedicado ao mercado de ações