Aérea

Gol (GOLL4) projeta prejuízo de R$ 1,80 por ação no 2º trimestre

Alta de mais de 70% no preço dos combustíveis é principal pressão negativa nos números

Por  Felipe Moreira

A operadora aérea Gol (GOLL4) apresentou hoje (11) uma atualização do investidor sobre suas expectativas para o segundo trimestre de 2022.

A GOL espera um prejuízo por ação (EPS, na sigla em inglês) e perda por American Depositary Shares (ADRs) de aproximadamente R$ 1,80 e US$ 0,75 , respectivamente.

Já a margem Ebitda para o trimestre deverá ser de aproximadamente 10%.

A receita unitária de passageiros (PRASK) para o segundo trimestre deverá aumentar aproximadamente 50% ano a ano, impulsionado pela forte recuperação das viagens corporativas em Redes domésticas e regionais da GOL e a volta das viagens de lazer nas redes da Companhia rede internacional.

A receita Smiles aumentou 48% em relação ao mesmo período de 2019 com crescimento de 25% na base de clientes em relação ao 2T19. Receita unitária total (RASK) deverá aumentar aproximadamente 40% ano a ano.

A GOL espera que custos unitários não combustíveis (CASK Ex-Fuel) diminuam aproximadamente 40% em relação ao segundo trimestre do ano anterior, principalmente devido ao aumento produtividade (ASKs, utilização de aeronaves e eficiência operacional) e a valorização o real brasileiro versus o dólar americano.

Espera-se que os custos unitários de combustível (CASK Fuel) tenha aumento de aproximadamente 73% ano a ano, impulsionado por um aumento de 80% na média de jatos preço do combustível, parcialmente compensado pela redução de aproximadamente 6% no consumo de combustível por hora de voo devido ao maior número de 737-MAXs na frota.

A alavancagem financeira da GOL, medida pela relação Dívida Líquida / EBITDA foi de aproximadamente 10x no final do trimestre de junho de 2022 (8,4x no IFRS-16). A liquidez total no final do trimestre é de R$ 3,6 bilhões.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe
Mais sobre