Destaques corporativos

Gol e Eletropaulo disparam e lideram ganhos do Ibovespa; Cemig cai quase 5%

Petrobras vê reajuste de até 6% na gasolina; Marcopolo estuda voltar a ter fábrica na Rússia

SÃO PAULO – Após abrir o pregão em baixa depois do recesso do Natal, o Ibovespa retoma os ganhos sustentado pelas bolsas dos Estados Unidos, que iniciaram o pregão desta segunda-feira (26) no positivo. 

Entre os destaques corporativos, as ações da Gol (GOLL4) lideram com folga a maior alta do índice, com valorização de 16,98% às 12h40 (horário de Brasília), aos R$ 13,16, impulsionadas pela segregação das atividades do Smiles, além de fortes dados operacionais de novembro e venda de ações preferenciais em tesouraria. 

Para a equipe de análise da XP Investimentos, a notícia sobre o IPO (Initial Public Offering) é positiva, já que faria com que a empresa recebesse dinheiro no curto prazo e possivelmente a levaria a criar uma fonte de geração de receita no longo prazo, semelhante ao que a TAM (LATM11) tem feito com a Multiplus (MPLU3).

Eletropaulo salta mais de 16% em dois dias
Outra empresa que também chama atenção nesta sessão é a Eletropaulo (ELPL4), cujos papéis sobem 7,43%, aos R$ 16,04. Já na última sessão da sexta-feira (21), os papéis apresentaram a maior valorização do índice – com ganhos de 9,54%. No acumulado dos dois dias os ativos saltam mais de 16%.

Segundo o analista-chefe da SLW, Pedro Galdi, esse desempenho pode refletir um otimismo dos investidores de que a companhia vai voltar a ser boa pagadora de dividendos. Ele aponta também que pode ser um movimento técnico de cobertura de posições vendidas.

Refletindo reajuste dos ADRs, ações da Cemig caem
Já na outra ponta do Ibovespa, as ações da Cemig (CMIG4) caíam 4,9%, aos R$ 22,13, refletindo o movimento negativo visto na segunda-feira (24) dos seus ativos negociados na Nyse (New York Stock Exchange), quando recuaram 4,97%. 

Apesar desse movimento, na última sexta-feira (21) as ações da companhia elétrica mineira subiram 6,45%, na máxima do dia após o conselho de administração da empresa aprovar o pagamento de proventos no valor de R$ 3,3 bilhões.

Petrobras espera reajuste de 6% na gasolina
Ainda entre os destaques corporativos, a presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Maria das Graças Foster, disse no último domingo em entrevista ao jornal O Globo que aguarda um aumento no preço da gasolina de 6%, considerando o plano de negócios da estatal até 2016, mas argumentou que o governo ainda não definiu como será feito o reajuste. 

Mas, segundo a equipe de análise da XP Investimentos, mesmo com o reajuste ainda haverá uma certa defasagem sobre o mercado internacional, embora possa aliviar de modo considerável em termos operacionais para os próximos resultados.

PUBLICIDADE

Marcopolo estuda voltar a ter fábrica na Rússia
Três anos após fechar fábrica na Rússia, a Marcopolo (POMO4) estuda retomada de produção no país. Atualmente, a empresa tem uma joint venture com o grupo russo Kamaz e atua montando veículos com peças produzidas na China.

A planta, contudo, depende ainda do resultado desse novo modelo de operação na Rússia. O acordo com a Kamaz foi fechado no ano passado, mas os primeiros veículos serão entregues em 2013. 

ALL investe no transporte de combustível com Cattalini
A ALL América Latina (ALLL3) está fazendo uma aposta no aumento da importação de combustíveis. A empresa fechou parceria com a Cattalini Terminais Marítimos para a construção de um novo acesso ferroviário no Porto de Paranaguá voltado ao transporte de diesel e gasolina. As obras começarão está semana e a estrutura deverá ficar pronta em março.  

Itaú Unibanco: provisões devem cair em 2013
O Itaú Unibanco (ITUB4) vai gastar menos recursos em 2013 com provisões para créditos duvidosos, disse Rogério Calderón, diretor corporativo de controladoria e de relações com investidores, à Folha.

O maior banco da América Latina em valor de mercado vai se beneficiar da queda na taxa de inadimplência. “Não vamos ter períodos em 2013 com os mesmos níveis de provisionamento que tivemos nos primeiros três trimestres deste ano, que foi em torno de R$ 6 bilhões, disse Calderón.

OHL Brasil altera nome para Arteris
A Arteris é a nova denominação social da OHL Brasil, considerando a conclusão, em 3 de dezembro, do processo de transferência do controle acionário da companhia para a Abertis e Brookfield. 

Com isso, a partir desta quarta-feira, as ações de emissão da companhia passam a ser negociadas na BM&FBovespa com o novo nome de pregão Arteris e sob o novo código de negociação ARTR3, em substituição ao antigo código OHLB3.  

AES Tietê pagará R$ 26,1 milhões em juros sobre capital próprio
A AES Tietê (GETI4) comunicou nesta segunda-feira que seu conselho de administração aprovou o pagamento de R$ 26,1 milhões em juros sobre capital proprio, representando R$ 0,06 por ação.

PUBLICIDADE

Suzano aprova contratar financimentos de R$ 1,1 bilhão
A Suzano (SUZB5) aprovou contratar financiamentos de R$ 1,1 bilhão. Os dois financiamentos serão usados para importação de equipamentos da futura fábrica de celulose da Suzano no Maranhão, segundo comunicado ao mercado.

Os financiamentos, com prazo de 9,5 anos, foram fechados com o AB Svensk Exportkredit, BNP Paribas via subsidiária Fortis Bank SA/NV, Nordea Bank AB Publ, Nordea Bank Finland Plc, e Société Générale. 

Direcional fecha contratos para “Minha Casa, Minha Vida” em RJ e SP 
A Direcional Engenharia (DIRR3) fechou dois contratos com a Caixa Econômica Federal para a construção de residências dentro do programa “Minha Casa, Minha Vida”, informou a empresa em comunicado nesta quarta-feira.

Um contrato para construção do “Parque Carioca”, com 900 unidades residenciais e valor global de R$ 72,5 milhões foi firmado com a Caixa e o governo do Rio de Janeiro. O outro contrato, no valor total de R$ 78,7 milhões, foi acertado pela empresa com o banco e o governo de São Paulo para o desenvolvimento do “Parque Resedás”, com 926 residências.