Gerdau (GGBR4) lucra R$ 732 mi no quarto trimestre, baixa anual de 45,1%

Companhia divulgou seus resultados trimestrais nesta noite de terça-feira (20)

Felipe Moreira

Publicidade

A Gerdau (GGBR4) reportou nesta terça-feira (20) lucro líquido ajustado de R$ 732 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 45,1% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022 e abaixo do consenso LSEG, que previa lucro de R$ 815,2 milhões.

Segundo a Gerdau, o lucro se deve ao reflexo dos menores volumes das vendas nas Operações de Negócios e, principalmente, pela forte base de comparação do ano 2022, quando a companhia registrou o segundo maior Lucro Líquido Ajustado de sua história.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 2,039 bilhões no 4T23, uma redução de 43,8% em relação ao 4T22.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A margem Ebitda ajustada atingiu 13,9% entre outubro e dezembro do ano passado, baixa de 6,3 ponto percentual (p.p.) frente a margem registrada em 4T22.

A receita líquida somou R$ 14,716 bilhões no quarto trimestre do ano passado, um recuo de 18,1% na comparação com igual etapa de 2022, influenciada pelos menores volumes vendidos no período e pelos impactos da operação na Argentina (ON América do Sul) em função da desvalorização cambial ocorrida em dezembro.

No 4T23, a produção de aço bruto foi de 2,7 milhões de toneladas (-4,0% vs. 3T23 e -6,2% vs. 4T22). O nível de utilização da capacidade de produção de aço bruto ficou em 64%, inferior 3 p.p. em relação ao trimestre anterior, reflexo da sazonalidade esperada para o trimestre, além das paradas programadas de manutenção em algumas unidades da companhia.

Continua depois da publicidade

As vendas de aço no 4T23 totalizaram 2,7 milhões de toneladas (-3,6% vs. 3T23 e -0,6% vs. 4T22) e refletem o cenário global da indústria do aço, com a continuidade da alta penetração de produtos importados, resultando na deterioração do mercado e em um ambiente de preços internacionais desafiador.

As Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas (DVGA) totalizaram R$ 568
milhões no 4T23, 5,4% superior ao 3T23 e 8,7% inferior em relação ao 4T22.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 156 milhões no quarto trimestre de 2023, uma redução de 68,7% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022. 

Os investimentos somaram R$ 2,015 bilhões no 4T23, alta de 19,7% na base anual.

Em 31 de dezembro de 2023, a dívida bruta da companhia era de R$ 10,893 bilhões, uma diminuição de 13,6% na comparação com a mesma etapa de 2022.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 0,40 vez em dezembro/23, alta de 0,07 p.p. em relação ao mesmo período de 2022.

O Fluxo de Caixa Livre do 4T23 foi de R$ 1,3 bilhão, 14,3% superior ao 4T22, influenciado pela liberação de capital de giro, possibilitando que 63% do Ebitda ajustado fosse
convertido em fluxo de caixa livre, 32p.p acima quando comparado ao mesmo período do ano anterior.