Temporada de resultados

Gerdau: após salto de mais de 11 vezes do lucro, mais está por vir para a siderúrgica, apontam analistas

Números do Ebitda da siderúrgica foram quase R$ 1 bilhão acima do que projetavam os analistas

SÃO PAULO – As ações da Gerdau (GGBR4) sobem mais de 6% nesta quarta-feira (5) depois da companhia reportar um forte resultado no primeiro trimestre. A siderúrgica teve um lucro líquido de R$ 2,471 bilhões, alta de 1.016% (ou de mais de 11 vezes) na comparação anual, ou ganhos de 134% frente aos R$ 1,057 bilhão do quarto trimestre de 2020.

Já a receita líquida somou R$ 16,3 bilhões, alta de 77% ante o mesmo período de 2020, ajudada pela apreciação do dólar frente ao real, que impactou positivamente as receitas das operações da companhia na América do Norte. A alta foi de 20% frente o quarto trimestre de 2020.

Em relatório, os analistas Carlos De Alba, Eduardo Bordalo e Jens Spiess, do Morgan Stanley, destacam que o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) de R$ 4,32 bilhões foi bem acima dos R$ 3,46 bilhões esperados pelo consenso de mercado.

Os números robustos, de acordo com a equipe do banco americano, estão relacionados ao caixa das operações, que bateu R$ 1,25 bilhão devido aos melhores resultados operacionais e menores taxas de custo.

Apesar de terem preço-alvo de R$ 30,00, que significa uma queda de 13,9% sobre o atual nível de negociação dos papéis preferenciais GGBR4, o Morgan Stanley tem recomendação overweight (se posicione na ação mais do que a média do mercado) para as ações da siderúrgica.

Já a equipe de análise do Itaú BBA aponta que esse Ebitda forte foi impulsionado principalmente pelas operações da Gerdau no Brasil, onde os preços domésticos realizados avançaram 26% na comparação com o trimestre anterior e elevaram as margens a 37%, num crescimento de 6 pontos percentuais na base trimestral.

“Embarques domésticos de aço aumentaram 1% no trimestre, e se expandiram fortemente em 31% em relação ao primeiro trimestre de 2020, acompanhando os níveis saudáveis de atividade no setor de construção e na indústria”, ressaltam os analistas Daniel Sasson, Ricardo Monegaglia e Edgard Pinto de Souza, do Itaú.

A melhora do mercado doméstico, portanto, mais do que justificou a queda de 75% nas exportações em relação aos últimos três meses do ano passado, o que resultou em uma participação de 96% em vendas para embarques domésticos.

“O principal deste trimestre foi a média de receita por tonelada no mercado brasileiro, que subiu em 26% na comparação com o trimestre anterior como resultado do carregamento positivo dos aumentos de preço implementados no final do ano passado”, avalia a equipe do banco.

PUBLICIDADE

O Itaú BBA tem recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado) para as ações de Gerdau apesar do preço-alvo de R$ 25, que é 28,2% abaixo do valor atual do ativo.

Na mesma linha, os analistas Yuri Pereira e Thales Carmo, da XP, explicam que os preços mais altos compensaram os volumes mais baixos, de 1,29 milhão de toneladas, uma queda de 9% na base trimestral.

Sobre os negócios da Gerdau na América do Norte, a XP comenta que o Ebitda de R$ 843 milhões ficou acima da previsão de R$ 596 milhões que tinha a corretora, e isso se deveu também aos preços mais altos. “Uma expansão saudável da margem Ebitda [indicador obtido pela divisão do Ebitda pela receita líquida] sinaliza uma demanda resiliente dos setores industrial e de construção.”

A XP tem recomendação de compra para as ações da Gerdau e preço-alvo de R$ 32, que representa uma desvalorização de 8,13% a partir do valor das GGBR4 nesta quarta.

O Credit Suisse, por sua vez, prevê que apesar da paridade de prêmios para aços longos importados permanecer em confortáveis 0,6%, reajustes adicionais poderiam continuar sendo realizados nos próximos meses, o que deve ajudar ainda mais a Gerdau a manter um nível saudável de lucratividade e a ofuscar os preços mais altos de insumos.

Para os analistas Caio Ribeiro e Gabriel Galvão, do Credit, é importante também olhar para os resultados da siderúrgica na América do Sul e nas vendas de aços especiais. A divisão sul-americana teve um Ebitda de R$ 550 milhões, o que corresponde a um incremento de 21% na comparação com o quarto trimestre, e de 235% na base anual.

Esse resultado, escreve a equipe do banco suíço, é explicado principalmente pela maior demanda do setor de construção na Argentina e no Peru, o que se soma a um impulso trazido pelas joint ventures firmadas na Colômbia e na República Dominicana.

A divisão de aços especiais, por sua vez, registrou um Ebitda de R$ 409 milhões, em aumento de 31,9% sobre o trimestre anterior, com margens em 16,8% contra 15,1% nos últimos três meses de 2020. Esses números foram consequência dos volumes de embarques mais altos para estas mercadorias específicas, que totalizaram 425 mil toneladas (aumento de 4,4% sobre o último trimestre) e pelas melhores condições de demanda para o setor automotivo tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

Na contramão das demais equipes de análise, a do Credit Suisse tem recomendação neutra para Gerdau e preço-alvo de R$ 33,50, valor 3,82% menor que o nível de preços dos papéis hoje.

Mais otimistas estão os analistas Thiago Lofiego e Isabella Vasconcelos, do Bradesco BBI, que colocam recomendação outperform para as ações GGBR4 e preço-alvo de R$ 45,00. Isso representa uma valorização de 29,2% sobre o atual patamar de negociação dos papéis.

O BBI também destaca as surpresas com o Ebitda tanto das operações no Brasil quanto nas norte-americanas, impulsionadas pela realização de preços de aço, como motivo para esse otimismo.

“Nós acreditamos que os preços de aço continuarão a operar em níveis mais elevados por mais tempo globalmente, ao passo que a demanda por aço deve continuar sólida, o que permite níveis mais altos de lucratividade para as divisões principais [da Gerdau] ao longo de 2021 e provavelmente de 2022 também”, avaliam os analistas, apontando que ainda há mais catalisadores no radar.

Os analistas do Bradesco BBI citam também o ambicioso pacote de Joe Biden, presidente dos EUA, no valor de US$ 2,25 trilhões, que prevê investimentos relevantes em infraestrutura, com o potencial de aumentar significativamente a demanda de aço no país em um período de aproximadamente 10 anos e beneficiar as siderúrgicas com exposição ao país. Mas, fazem a ressalva que ainda não incluíram as projeções do plano de infraestrutura nos números pois ele ainda não foi aprovado, enquanto a estrutura de financiamento e os projetos ainda não estão claros. Veja mais sobre os efeitos do pacote de Biden nas ações da Gerdau clicando aqui.

Às 13h47 (horário de Brasília), as ações da Gerdau subiam 6,68% a R$ 34,83, depois de terem chegado a bater R$ 35,00 na máxima do pregão.

De acordo com dados compilados pela Refinitiv, as ações da Gerdau hoje acumulam nove recomendações de compra, seis neutras e nenhuma de venda, com preço-alvo médio de R$ 30,11, o que corresponde a uma desvalorização de 13,55% sobre o patamar atual.

Quer viver de renda? Estes 3 ativos podem construir uma carteira poderosa. Assista no curso gratuito Dominando a Renda Passiva.

PUBLICIDADE