Futuros nos EUA operam em alta, à espera de indicadores e com valorização de bancos

Papéis de Citi e BofA sobem por comprometimento de rivais no pagamento do Tarp; Building Permits e Housing Starts em foco

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na manhã desta terça-feira (19), os contratos futuros dos principais índices de ações norte-americanos negociados na Chicago Mercantile Exchange, como o S&P 500 e o Nasdaq 100, indicam uma abertura em alta das bolsas dos EUA.

De olho na reputação nos mercados e a fim de dissipar qualquer chance de influência do Estado em seu gerenciamento, os bancos Goldman Sachs, Morgan Stanley e JPMorgan Chase almejam pagar o quanto antes os empréstimos do programa TARP (Troubled Asset Reflief Program) ao Tesouro dos EUA, conforme fontes próximas. Como resposta, papéis ligados ao setor financeiro disparam no pré-market. Dentre as altas, ênfase para as ações de Bank of America (4%), Citigroup (6%) e Morgan Stanley (2%).

À beira da concordata, a General Motors detém quatorze dias para concretizar seu plano de reestruturação, de acordo com o prazo estipulado pela administração de Barack Obama. A montadora de Detroit visa diminuir suas dívidas de US$ 27 bilhões, via realização de concessões atingidas junto ao UAW (United Auto Workers) e fechamento de 40% das concessionárias nos EUA. Inseridas no cenário, as ações da automobilística sobem 4% nas negociações que precedem a abertura de Wall Street.

Entre imóveis e reestruturação

Aprenda a investir na bolsa

Visando adequar suas operações à nova realidade, a American Express divulgou um novo plano de reestruturação operacional, almejando economizar US$ 800 milhões até o final deste ano. De acordo com comunicado divulgado pela companhia, a redução de custos será realizada através de cortes no quadro de funcionários, investimentos e gastos supérfluos, como viagens a executivos. Diante da expectativa benéfica pela renovação, os ativos da AmEx avançam cerca de 2% no pré-market.

Saindo da esfera corporativa, a agenda econômica ganha relevância, com foco elevado no setor imobiliário, através da dupla Building Permits e Housing Starts. O primeiro é responsável por medir o volume de permissões de construção de imóveis residenciais no decorrer do quarto mês do ano, enquanto o último mensurará o número de casas em construção, na passagem de março para abril. Além disso, o presidente do Federal Reserve de Minneapolis Gary Stern discursará nesta terça-feira.

Contratos futuros

O contrato futuro do S&P500 opera a 914,30 pontos, alta de 6,96 pontos em relação ao valor justo, o que indica uma abertura do S&P 500 a 916,67 pontos, valorização de 0,77% em relação ao último fechamento.

Já o futuro do Nasdaq 100 aponta uma abertura do índice das blue chips de tecnologia a 1.371,52 pontos, alta de 0,45% frente ao fechamento de segunda-feira (18). O contrato futuro negociava há instantes a 1.398,25 pontos, 6,19 pontos acima do valor justo.

Confira o último fechamento

No pregão de segunda-feira, o índice Nasdaq Composite fechou em forte valorização de 3,11%, atingindo 1.732 pontos. Já o S&P 500 subiu 3,04%, enquanto o índice Dow Jones encerrou com alta de 2,85%.

%Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
Nasdaq+3,111.732+3,54+9,85
S&P 500+3,04910+4,61+0,72
Dow Jones+2,858.504+4,58-3,10

PUBLICIDADE