Futuros de NY iniciam em alta última semana do ano; dados de atividade nos EUA, INCC e mais destaques

Desaceleração da inflação americana reforçou apostas de que o Fed reduzirá os juros no início do próximo ano

Felipe Moreira

Publicidade

Os índices futuros dos Estados Unidos sobem nesta terça-feira (26), que marca o início da última semana de 2023, com o arrefecimento da inflação americana reforçando as apostas de que o Federal Reserve (Fed) reduzirá as taxas de juros no início do próximo ano.

Os investidores ainda estão digerindo os dados divulgados na sexta-feira, que mostraram que os preços nos EUA recuaram em novembro. A inflação, medida pelo índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE), caiu 0,1% no mês passado.

Dessa forma, os investidores apostam numa probabilidade de 75% de um corte de 25 pontos base na taxa de juros por parte da Fed em março, de acordo com a ferramenta CME FedWatch.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Na frente de dados, o Fed divulga índice de atividade nacional (CFNAI) referentes à novembro, enquanto o Fed Filadélfia apresentará o índice de atividade de dezembro.

Por aqui, os destaques ficam para o IPCA-15 e o CAGED, com números da criação formal de vagas, ambos na quinta-feira (28).

Enquanto isso, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse na última sexta, 22, que irá apresentar, nesta semana, um conjunto de medidas para compensar a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos, que beneficia 17 setores da economia e cuja validade foi estendida pelo Congresso até 2027.

Continua depois da publicidade

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em alta, com apostas de que o Federal Reserve reduzirá as taxas de juros no início do próximo ano.

Os agentes do mercado estão precificando uma chance de 75% de um corte de 25 pontos base na taxa por parte da Fed em Março, de acordo com a ferramenta CME FedWatch, em comparação com uma probabilidade de 21% no final de novembro. Os mercados também estão precificando mais de 150 pontos base de cortes nas taxas no próximo ano.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

Ásia

Os mercados do Japão e da Coreia do Sul começaram a última semana de negociações de 2023 em alta, com o Nikkei 225 pronto para emergir como o melhor desempenho da região neste ano, mas as ações da China continuaram a cair.

A produção industrial de Cingapura aumentou 1% em termos anuais em novembro, uma queda acentuada em relação à expansão revisada de 7,6% observada em outubro e inferior aos 3,1% esperados por uma pesquisa da Reuters com economistas.

Numa base mensal ajustada sazonalmente, a produção industrial em Cingapura caiu 7,8% em novembro.

Europa

Com agenda de indicadores esvaziada, os mercados europeus operam sem direção definida no retorno do feriado prolongado de Natal.

Commodities

Os preços do petróleo operam em baixa, com investidores atentos às tensões no Oriente Médio e corte de taxas nos EUA.

As cotações do minério de ferro na China fecharam em alta, impulsionados pelas esperanças de medidas de estímulo econômico destinadas a reforçar a economia chinesa e pela antecipação de uma demanda robusta.

Na Bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência para janeiro, SZZFF4, subiu 1,2%, para US$ 138,7 a tonelada, subindo pela terceira sessão consecutiva.

Bitcoin

2. Agenda

Os principais dados divulgados serão o IPCA-15 e o CAGED, com números da criação formal de vagas, ambos na quinta-feira. Para o IPCA-15, a expectativa do mercado é de avanço de 0,29% na comparação mensal. O Bradesco estima alta de 0,24%, com bens industrial e serviços em trajetória de desaceleração.

Já para o CAGED, as projeções do Bradesco sugerem a criação de 160 mil empregos formais, pouco acima das expectativas do Itaú. A estimativa da equipe chefiada pelo economista Mario Mesquita é de 184 mil empregos formais, ante 190 mil em outubro. Com ajuste sazonal, a criação será de 140 mil, com discreta alta na comparação mensal, que trouxe 139 mil novas vagas.

Na terça-feira, os EUA conhecerão os dados do Federal Reserve do índice de atividade nacional (CFNAI) referentes à novembro, enquanto o Fed Filadélfia apresentará o índice de atividade.

Na quinta-feira, já tradicionalmente serão apresentados os dados semanais de pedidos de auxílio desemprego.

No exterior, a semana será igualmente tranquila, com apresentação dos PMI Composto e PMI Industrial (Caixin), ambos de dezembro, da China, e os dados de venda no varejo de novembro, da Alemanha.

Brasil

08h: IPC-S semanal

08h: INCC-M de dezembro

08h: Sondagem da construção de dezembro

08h25: Boletim Focus semanal

15h: Balança comercial semanal

EUA

10h30: Índice de Atividade Nacional (CFNAI) de novembro

10h30: Índice de atividade do Fed Filadélfia de dezembro

3. Noticiário econômico

Medidas para desonerar a folha vão sair na próxima semana, diz Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse na última sexta, 22, que irá apresentar, nesta semana, um conjunto de medidas para compensar a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos, que beneficia 17 setores da economia e cuja validade foi estendida pelo Congresso até 2027.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a vetar integralmente o texto, mas o veto foi derrubado pelos parlamentares por ampla maioria.

Segundo Haddad, a orientação do presidente é de que o governo busque uma saída política para o assunto – que mobiliza empresários, parlamentares e centrais sindicais – antes de questionar o tema na Justiça. O governo avalia que a prorrogação do benefício é inconstitucional, uma vez que reduz a arrecadação da seguridade social, e já sinalizou disposição de levá-lo ao Supremo Tribunal Federal (STF).

4. Noticiário político

Congresso aprova orçamento de 2024 com corte no PAC, recorde de emendas e fundão eleitoral

O Congresso Nacional aprovou na última sexta-feira, 22, último dia do ano legislativo, o Orçamento de 2024 com um corte em torno de R$ 7 bilhões no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal vitrine do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na primeira versão do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), o relator, deputado Luiz Carlos Motta (PL-SP), havia reduzido R$ 17 bilhões do PAC, ao prever R$ 44,3 bilhões para o programa no ano que vem, em vez dos R$ 61,3 bilhões indicados pelo Executivo.

No novo texto, o parlamentar destinou em torno de R$ 54 bilhões ao programa. O corte serviu para turbinar o valor das emendas de comissão, que passaram de R$ 11,3 bilhões – piso estabelecido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2024 – para R$ 16,6 bilhões no ano que vem. O texto também prevê um valor recorde para emendas parlamentares, de R$ 53 bilhões.

5. Radar Corporativo

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR3;PETR4) informou neste sábado (23) que iniciou a perfuração do poço de Pitu Oeste, no Rio Grande do Norte, retomando pesquisa da companhia por óleo e gás na Margem Equatorial.

Segundo Plano Estratégico de 2024 a 2028, a Petrobras prevê investimento de US$ 3,1 bilhões para pesquisa de óleo e gás na Margem Equatorial, onde a companhia planeja perfurar 16 poços nesse período.

A perfuração do poço de Pitu Oeste, na concessão BM-POT-17, localizada a 53 quilômetros da costa do Rio Grande do Norte, levará de 3 a 5 meses.

Suzano (SUZB3)

A Suzano informou no sábado, 23, em comunicado ao mercado financeiro, a aquisição das sociedades de propósito específico (SPEs) Timber VII e Timber XX, sob gestão da BTG Pactual Timberland Investment Group, subsidiária do BTG Pactual, por R$ 1,826 bilhão.

Segundo o comunicado, as empresas adquiridas têm 70 mil hectares de terras em Mato Grosso do Sul, sendo 50 mil “úteis” e em parte plantadas com eucaliptos de variadas idades.

CSN (CSNA3)

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) prestou esclarecimentos à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre uma série de questões que envolveram o CSN Day e comunicado ao mercado, ambos datados de 14 de dezembro. Por exemplo, a CSN negou que realiza estudo sobre potencial venda de 30% da CSN Mineração (CMIN3) e disse que a teleconferência abarcou que não há intenção em realizar tal transação, sendo apenas uma “hipótese de liquidez”.

“No que se refere à possibilidade de venda de 30% da CSN Mineração S.A. não há até o momento qualquer estudo sendo realizado internamente tendo por objeto referida possível operação, ou sequer aprovação societária, não se tratando de fato relevante. Além disso, durante a teleconferência foi esclarecido expressamente não haver intenção em realizar a venda de 30% da CSN Mineração S.A., configurando-se apenas como uma hipótese de liquidez, sem prejuízo de a companhia explorar oportunidades estratégicas”, afirma a CSN.

A companhia disse que não há nenhuma atualização às projeções (guidance) em relação ao fato relevante publicado no dia 14 de dezembro, pouco antes da teleconferência com investidores.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)