Bolsas mundiais

Futuros americanos caem e bolsas europeias ficam estáveis à espera de dados de seguro desemprego nos EUA

A agenda econômica dos EUA também tem dados de vendas pendentes de imóveis e encomenda de bens duráveis em abril, além da 2ª estimativa do PIB

arrow_forwardMais sobre
Gráfico de queda
(Gearstd/Getty Images)

Nesta quinta-feira (27), os índices futuros americanos têm leves quedas. Investidores aguardam a divulgação de dados de seguro desemprego nos Estados Unidos, que devem ajudar a compreender o ritmo de recuperação da economia do país.

As bolsas europeias ficam estáveis, enquanto que as bolsas asiáticas fecharam com desempenhos variados entre si.

Na quarta-feira, o índice S&P subiu 0,2%, impulsionado por ações de empresas ligadas à reabertura da economia, incluindo empresas aéreas e operadoras de linhas de cruzeiros. Até a quarta-feira (26), os Estados Unidos haviam vacinado 49,36% de sua população contra Covid, segundo dados oficiais compilados pelo site Our World in Data.

O índice Dow fechou a sessão de quarta-feira estável, enquanto que o Nasdaq, marcado por ações do setor de tecnologia, subiu 0,6%.

Economistas ouvidos pela Refinitiv esperam 425 mil novos pedidos de seguro-desemprego por americanos na semana encerrada em 22 de maio. Na semana passada, houve 444 mil pedidos, o patamar mais baixo registrado na pandemia até o momento.

A agenda econômica americana também conta com dados de vendas pendentes de imóveis e encomenda de bens duráveis em abril, além da segunda estimativa do PIB do primeiro trimestre.

As bolsas asiáticas fecharam com desempenhos variados entre si. Investidores reagiram à divulgação de dados sobre lucro no setor industrial na China em abril, que subiram 57% na comparação anual, segundo dados do Bureau Nacional de Estatísticas.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, fechou com queda de 0,18%. Ações da fabricante chinesa de smartphones Xiaomi subiram 3,2% após a empresa reportar uma alta de quase 55% em sua receita no primeiro trimestre, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O Shanghai composto subiu 0,43%, enquanto que o componente Shenzhen ganhou 0,7%; o ínidce Nikkei, do Japão, caiu 0,33%; na Coreia do Sul, o Kospi oscilou negativamente, fechando em 3.165,51 pontos.

PUBLICIDADE

Na Europa, o índice Eurostoxx, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, se tem alta de 0,1%. Ações do setor de viagens e lazer sobem 1,4%, enquanto que dos setores de comida e bebida caem 0,6%.

Uma pesquisa da GfK, na Alemanha, indica que a confiança dos consumidores melhorou menos do que o esperado em maio, atingindo -7,0 pontos, frente a -8,6 pontos registrados em abril. A expectativa de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters era de uma leitura de -5,2 pontos.

As ações da Airbus subiram mais de 6%, liderando o índice Eurostoxx, após a fabricante de aviões anunciar planos ambiciosos de produção. A empresa tem como meta produzir 64 modelos A320 por mês no segundo trimestre de 2023.

Veja o desempenho dos principais índices às 6h40 (horário de Brasília):
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,27%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,49%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,1%
Europa
*Dax (Alemanha), -0,39%
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,03%
*CAC 40 (França), +0,36%
*FTSE MIB (Itália), +0,27%
Ásia
*Nikkei (Japão), -0,33% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,18% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,09% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,43% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,831, a US$ 65,66 o barril
*Petróleo Brent, -0,83% a US$ 68,3 o barril
*Bitcoin -3,06%, a US$ 39.173,01
**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 1,11%, cotados a 1046,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 164,1 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,38

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.