Fusão entre AOL e Time Warner foi aprovada nos EUA

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A Comissão Federal de Comunicação (Federal Communications Commission – FCC) aprovou na quinta-feira o negócio de US$ 106,3 bilhões referente à fusão entre a América On Line e a Time Warner. A aprovação era a última regulação necessária para completar a maior fusão corporativa dos EUA.

A decisão da FCC só foi aprovada com algumas restrições, um ano depois de anunciado o acordo que leva o maior provedor mundial e a maior empresa de mídia e entretenimento à mesma marca. Segundo declarações das empresas, a conclusão da fusão criará a primeira empresa mundial de Internet de alta velocidade, mídia e comunicação.

O processo se estendeu após ser severamente questionada pela concorrência, incluindo Walt Disney, Microsoft, Yahoo!, entidades de consumidores e empresas provedoras de acesso à rede. Apesar da aprovação ter sofrido bem menos imposições do que as empresas do setor queriam, as condições referem-se ao instant messaging da AOL e à rede de cabos da Time Warner.

O FCC requereu a abertura do sistema de instant messaging da AOL, que deverá seguir pela rede de cabos de alta velocidade da Time Warner. Neste sentido, a AOL deverá liberar o uso do sistema de mensagens instantâneas e a Time Warner o acesso à rede de cabos de transmissão de dados de alta velocidade às outras empresas do mercado.

Como o processo será estruturado em troca de ações, a cotação dos papéis influência o valor total do negócio. As ações da AOL caíram 35% desde que os primeiros rumores sobre a fusão surgiram no mercado, na época o acordo estava avaliado em US$ 160 bilhões. Contudo, com a aprovação do FCC e dada a cotação atual das ações a fusão deve ser fechada em US$ 106,3 bilhões.

A aprovação da fusão beneficia as ações da AOL, que abriram o pregão em Nova York desta sexta-feira em alta de 1,74%, sendo cotadas a US$ 48,05.

Compartilhe