Empreendedorismo

Fundador da Óticas Carol se une a empresário e cria ótica online QÓculos

Em entrevista para o InfoMoney, Odilon conta que a transição do mercado de lojas físicas para o online foi motivada pela busca por inovação

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O fundador da Óticas Carol, Odilon Santana Neto, deixou o mercado de varejo tradicional e fundou, junto de Rafael Galdino, a QÓCulos, ótica online que neste ano dobrou de tamanho.

Em entrevista para o InfoMoney, Odilon conta que a transição do mercado de lojas físicas para o online foi motivada pela busca por inovação. “Esse é um mercado muito grande a ser explorado”, disse. Desde que foi fundada, em 2013, a QÓculos se tornou uma das três maiores empresas de ótica do e-commerce brasileiro e foi a melhor avaliada pelos consumidores do setor.

Frente à concorrência, a dupla garante que o reconhecimento é merecido: “nós temos uma diferença das demais óticas online, que é nosso atendimento ao cliente. Na nossa plataforma, listamos as avaliações dos clientes e todos conseguem vê-la, e também temos três canais de atendimento. Nos diferenciamos no tempo de resposta”, explicou Rafael.

Aprenda a investir na bolsa

A mudança dos espaços físicos para o e-commerce, entretanto, não foi tão simples. Odilon explica que uma das dificuldades aconteceu pois a experiência de compra nas plataformas online é diferente. “Temos que oferecer maior quantidade de informações. Nós também oferecemos comparação dos modelos de óculos e até o serviço de consultora de estilo”, explicou, contando mais um dos diferenciais da plataforma. Além disso, o sortimento de produtos para a loja e o atendimento, já comentado, também precisaram ser revistos por conta das diferenças do mundo online.

“Nossas maiores dificuldades seriam na logística, mas conseguimos atender todo o país através de parceiros. Esse é um desafio superado”, disse.

Odilon e Rafael também fundaram a marca própria de óculos do e-commerce, a Hip7, que já é responsável por 95% das vendas do site. A expectativa para os próximos anos é de dobrar o faturamento anualmente, além de mudar um hábito dos brasileiros: “Queremos que os óculos de grau passem a ser vistos não como uma necessidade, mas sim como um acessório de moda”, disse Neto.