Fraca performance das bolsas dos EUA influencia principais bolsas latino-americanas

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas fecharam em baixa nesta sexta-feira, influenciadas pelo fraco desempenho dos índices norte-americanos. Às 15h46 de Nova York, o Nasdaq Composite registrava ligeira baixa de 0,32%, enquanto o Dow Jones Industrial e S&P500 apresentavam variações negativas de 0,83% e 0,63%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou em baixa de 0,39%, registrando variação negativa pelo primeiro pregão desde o início do ano. Hoje, o FMI aprovou formalmente o pacote de ajuda financeira para a Argentina e disponibilizou US$ 2,9 bilhões para o ministério da economia. Segundo o jornal Clarín, a Argentina se beneficiará da variação das principais moedas mundiais nas últimas semanas e, através dos direitos especiais de saque, poderá sacar o equivalente a US$ 300 milhões a mais do FMI. O euro, por exemplo, quando o pacote foi negociado em dezembro estava sendo cotado a aproximadamente US$ 0,82 e, agora está sendo cotado a US$ 0,9525.
Nesta sexta-feira, a Agência de Inspeção de Alimentos do Canadá anunciou que, a partir de segunda-feira, o país voltará a importar carnes argentinas, após a suspensão das importações, em agosto de 2000, em função do ressurgimento da febre aftosa. Nos primeiros oito meses de 2000, as exportações de carne argentina para o Canadá chegaram a 22 mil toneladas. Segundo a agência Reuters, a reabertura deste mercado poderia gerar a entrada de mais de US$ 150 milhões para o país em 2001.
Os destaques de queda na bolsa ficaram para as ações da Garovaglio y Zorraquin (-5,41%), da siderúrgica Siderca (-3,51%) e Solvay Indupa (-3,48%). Por outro lado, as maiores altas entre os componentes do índice Merval ficaram para as ações da Sociedad Comercial del Plata (+9,21%), da Telefônica (+2,96%) e da Repsol YPF (+2,30%).
O índice IPC da Bolsa do México encerrou em baixa de 0,04%, após ter registrado variação positiva durante a maior parte do pregão.
Hoje, no seminário de perspectivas econômicas para 2001, o ministro das Finanças, Francisco Gil, reconheceu que a dívida pública mexicana é muito alta, equivalente a 47,9% do PIB, e deverá ser reduzida.
As maiores baixas da bolsa ficaram para as ações da Hylsamex (-4,71%), do Grupo Bimbo (-3,47%) e da Desc Sociedad de Fomento Industrial (-3,16%). Contrariando a tendência da bolsa mexicana, os destaques de alta ficaram para as ações do Grupo Elektra (+4,26%), do Grupo Televisa (+2,93%) e do Grupo Financiero Banorte (+1,29%)

O índice ISBVL da Bolsa de Lima fechou em alta de 0,53%. Segundo o jornal El Comercio, o setor têxtil exportador cresceu cerca de 21,35% em 2000, em relação ao ano anterior. Para o jornal, o responsável pelo crescimento das exportações no setor é o pequeno mercado nacional, que não é capaz de absorver a capacidade instalada das indústrias, obrigando as empresas a escoarem a produção para outros países. Este número é bastante surpreendente para o Peru, que passa por uma crise política, após diversos escândalos de corrupção e a renúncia do ex-presidente Fujimori no ano passado.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa -1,02%
Chile IPSA+0,05%
Venezuela IBVC+2,81%
Colombia IBB+0,22%

Compartilhe