Fazer academia é luxo para os brasileiros, afirma presidente da Fitness Brasil

Brasil é sétimo no ranking mundial de praticantes de exercícios orientados, mas academias cobram caro

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – “No nosso país, a academia ainda é vista como artigo de luxo. Isso se comprova pelo valor das mensalidades, cuja média gira em torno de R$ 120, cifra ainda alta para a maioria da população”, lamenta Waldyr Soares, presidente da Fitness Brasil, entidade que trabalha para o crescimento do mercado, sendo a principal autoridade do setor.

Não é por acaso que o Brasil caiu no ranking que relaciona o número de academias em cada País, elaborado pela International Health Racquet and Sportsclub Association (IHRSA).

Brasil na 3ª posição

De acordo com a entidade global, os brasileiros ocupam a terceira posição do ranking, com 7.350 unidades, 350 a mais do que o registrado em 2005. Os campeões são os americanos, com quase 30 mil academias, freqüentadas por aproximadamente 43 milhões de pessoas, praticamente 50% dos praticantes de atividades físicas orientadas do globo.

“No que se refere à quantidade de academias, no ano passado, estávamos em segundo lugar no ranking do mundo, empatados com a Itália. Mas tivemos alta de apenas 5%, enquanto eles passaram de 7 mil academias para 8.300, quase 30% mais”, explica Soares.

Cenário

Atualmente, 2% da população do País se exercita com acompanhamento de profissionais. Parece pouco, mas está longe de ser. O percentual equivale a 3,7 milhões de pessoas e faz com que o Brasil lidere o ranking latino-americano e seja o sétimo na lista mundial.

Compartilhe