Estudos

Experimento do BIS testa moedas digitais de bancos centrais

Estudo visa desenvolver protótipos para uma plataforma que permitirá a liquidação internacional em moedas fiduciárias digitais de BCs

(Bloomberg) — O Banco de Compensações Internacionais (BIS) testará o uso de moedas digitais de bancos centrais com Austrália, Malásia, Singapura e África do Sul em um experimento que pode levar a uma plataforma de pagamentos global mais eficiente.

Com o codinome “Projeto Dunbar”, o estudo visa desenvolver protótipos para uma plataforma comum que permitirá a liquidação internacional em moedas fiduciárias digitais emitidas por bancos centrais, disse o BIS em comunicado na quinta-feira. O sistema permitiria transações diretas em moedas digitais de bancos centrais, ou CBDCs, entre instituições, enquanto reduziria tempo e custo, de acordo com o BIS.

Globalmente, os bancos centrais estão tentando chegar a um acordo com as tecnologias de pagamento emergentes desenvolvidas por empresas de tecnologia, incluindo as da chinesa Ant Group. Adicionalmente, o projeto Diem do Facebook, anteriormente conhecido como Libra, está construindo uma rede global de pagamentos que poderia atender suas próprias moedas ou moedas digitais de bancos centrais.

O rápido crescimento das criptomoedas – que são distintas das moedas digitais emitidas pelos bancos centrais – apresenta uma potencial ameaça aos regimes monetários existentes e aumenta a urgência dos debates sobre o tratamento de transferências monetárias transfronteiriças.

Os resultados do estudo devem ser publicados no início do próximo ano, disse o BIS.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.