Golpe

Exército anuncia golpe de estado na Turquia; presidente convoca população para defendê-lo

O premiê disse à emissora local NTV que a ação está sendo feita por um grupo de militares “fora da cadeia de comando”, segundo relatou a Reuters

Por  Rodrigo Tolotti

SÃO PAULO – O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, afirmou nesta sexta-feira (15) que o país sofreu uma tentativa de golpe militar. O premiê disse à emissora local NTV que a ação está sendo feita por um grupo de militares “fora da cadeia de comando”, segundo relatou a Reuters. Ele afirmou que os responsáveis vão pagar “um alto preço”.

“Estamos trabalhando com a possibilidade de uma tentativa de golpe. Não permitiremos esta tentativa de golpe”, disse. “Este é um ato ilegal tomado por um grupo militar que está agindo fora da cadeira de comando. Nosso povo deve saber que não permitiremos nenhuma tentativa de ferir a democracia”.

O exército turco transmitiu um comunicado em todas as televisões do país, confira a íntegra: “As forças armadas da Turquia completaram a tomada da administração do país para reinstalar a ordem constitucional, direitos humanos e liberdade, o estado de direito e a segurança geral que foi afetada. Todos os acordos internacionais ainda são válidos. Esperamos que toda nossa boa relação com todos os países continue”.

A emissora de televisão turca TRT foi tomada pelos militares e tirada do ar. Os jornalistas que estavam dentro do prédio afirmaram que tiveram seus telefones confiscados. Um representante do grupo que tomou a emissora fez um pronunciamento, dizendo que uma nova constituição vai ser preparada o antes possível. Segundo ele, o estado de direito foi erodido pelo governo atual e que o país agora está sendo comandado por um “conselho de paz”, que vão assegurar a segurança da população.

O Exército também afirmou que instaurou Lei Marcial no país e afirmou que o presidente do país, Tayyip Erdogan será tratado como “traidor”. Erdogan fez um pronunciamento por meio de uma rede social em um celular no qual instou a população a defendê-lo nas ruas.

Aviões e helicópteros militares estão sobrevoando a capital, afirma a AFP. Testemunhas relataram à agência Reuters que houve um tiroteio na cidade. Segundo o jornal turco “Hurriyet”, a polícia de Ancara convocou todo o pessoal em serviço. O acesso às redes sociais na Turquia foram bloqueados e a emissora de TV estatal da Turquia está fora do ar após militares terem invadido a emissora.

Em Istambul, forças de segurança fecharam parcialmente as pontes do estreito de Bósforo. As duas pontes foram fechadas pela divisão do exército turco encarregada da segurança interna.

Compartilhe