Opções

Exercício de opções movimenta R$ 2,11 bilhões com Ambev e Petrobras na liderança

Entre as opções mais movimentadas de março estiveram também a Vale e o Bradesco

SÃO PAULO – Segundo a BM&FBovespa, o exercício das opções sobre ações movimentou R$ 2,11 bilhões nesta segunda-feira (16), informou a bolsa brasileira . Deste total, R$ 1,308 bilhão vieram do exercício de opções de venda e os R$ 804,281 milhões restantes vieram de opções de compra.

Entre as cinco opções mais movimentadas, destaque para as ações da Ambev (ABEV3) a R$ 17,24, a única opção de compra entre as mais movimentadas, com R$ 86,15 milhões. Enquanto isso, a Petrobras PN (PETR4) ficou na primeira colocação, movimentando R$ 128,82 milhões em opções de venda a R$ 9,61.

A Vale PN (VALE5) ficou com a terceira e quinta colocações entre as cinco mais movimentadas, com opções de venda a R$ 17,35 e R$ 19,35 movimentando R$ 76,06 milhões e R$ 72,40 milhões, respectivamente. Completando o top 5, o Bradesco PN (BBDC4) movimentou R$ 75,23 milhões com opções de venda a R$ 34,11.

Dados históricos dos vencimentos de opções:

VencimentoOpções de compra
(R$ milhões)
Opções de venda
(R$ milhões)
Total
(R$ milhões)
16/03/20158041.3082.110
09/02/20157078701.570
19/01/20156831.4982.180
15/12/20143253.26243.580
17/11/20146923.4704.160
20/10/20141.2862.3393.626
15/09/20141.6321.6043.237
18/08/20142.8636403.500
21/07/20143.3001.0004.300
16/06/20142.3008213.100
19/05/20142.3777083.080
22/04/20143.0208453.800
17/03/20144672.2002.670

Fonte: BM&F Bovespa

Vencimento eleva volatilidade
A forte oscilação verificada em dias de vencimento de derivativos reflete a disputa entre “comprados” e “vendidos”. De modo geral, os “comprados” apostam na alta das ações, enquanto os “vendidos” visam o fraco desempenho dos papéis.

Neste cenário, os “comprados” tendem a adquirir grandes quantidades de ações, na tentativa de elevar seu preço, enquanto os “vendidos” promovem a venda dos papéis, com o intuito de derrubar as cotações.

Vale lembrar que esse movimento ganha força na medida em que as ações mais negociadas nos contratos de opções costumam carregar participação significativa no Ibovespa.