Fique de olho

ETF brasileiro EWZ cai 7% no pré-market de NY e mais assuntos que vão movimentar esta segunda

Semana começa com mais aversão ao risco do mercado em meio ao pacote econômico dos EUA rejeitado pelo Senado

Aprenda a investir na bolsa

Os mercados começam mais uma semana sob a pressão da pandemia do coronavírus. As bolsas de valores da Ásia fecharam em queda, as da Europa abriram em baixa e os futuros de Nova York estão negativos. O Senado dos Estados Unidos, que ontem não aprovou o pacote de estímulo econômico, pode voltar a votá-lo nesta segunda-feira.

Em meio a essas novas incertezas, o MSCI Brazil Capped ETF (EWZ), principal ETF (fundos de gestão passiva que acompanham algum índice e são negociados em Bolsa) dos ADRs (na prática, as ações de empresas brasileiras negociadas nos Estados Unidos) brasileiros caem forte novamente, 7,08% no pré-market da bolsa de Nova York.

No Brasil o Banco Central antecipou a divulgação da ata da última reunião do Copom. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, dará entrevista às 9h, abordando medidas para atenuar o impacto da Covid-19 na economia. No domingo, o BNDES suspendeu o pagamento de dívidas das empresas por seis meses e anunciou que tornará disponíveis R$ 55 bilhões para as companhias. Empresários também pediram um “Plano Marshall” para evitar o colapso da economia brasileira, com o comércio praticamente fechado e os serviços reduzidos por causa da epidemia. Decisão do ministro Alexandre de Morais, do STF, suspendeu o pagamento da dívida do Estado de São Paulo ao governo federal. O dinheiro deverá ser destinado ao combate da pandemia.

1. Bolsas mundiais

Aprenda a investir na bolsa

As bolsas de valores da Ásia fecharam quase todas em queda, enquanto os futuros de Nova York tombaram já na noite do domingo, após o Senado americano não aprovar o pacote de socorro para mitigar os efeitos da pandemia do coronavírus sobre a economia. O pacote deve ser votado na manhã de hoje, informa a CNBC. Os índices futuros chegaram a atingir limite de baixa de 5% quando o pacote foi rejeitado, mas registram menores perdas durante a manhã.

Legisladores e autoridades do governo esperavam chegar a um acordo sobre um pacote de US$ 1,3 trilhão, para que ambas as câmaras do Congresso o aprovassem na abertura da semana na segunda-feira e antes que os mercados financeiros reagissem adversamente à crise. Mas Democratas disseram que o pacote elaborado pelos republicanos favorece as empresas, mas não vai longe o suficiente para ajudar as pessoas que enfrentam desemprego e perda de renda.

Legisladores podem votar novamente em uma moção para prosseguir, caso cheguem a um acordo sobre os esboços do pacote de resgate, mas o senador republicano Mitch McConnell (Kentucky) criticou os Democratas no Senado após a votação. “Estamos de volta à estaca zero”, disse McConnell após o fracasso da votação. Ele disse que tentaria novamente em um momento de sua escolha.

De qualquer maneira, a sessão de hoje deve ser de bastante volatilidade para os mercados por causa do avanço da doença, com mais de 325 mil pessoas infectadas e mais de 10 mil mortes ao redor do mundo. A China registrou 39 novos casos nesta segunda-feira – segundo o país asiático, todos de estrangeiros. A pandemia avança nos Estados Unidos, onde superou 30 mil casos, na Europa e no Brasil.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h02 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), -2,68%
*Nasdaq Futuro (EUA), -2,20%
*Dow Jones Futuro (EUA), -3,19%

PUBLICIDADE

Europa
*Dax (Alemanha), -3,31%
*FTSE (Reino Unido), -4,06%
*CAC 40 (França), -2,99%
*FTSE MIB (Itália), -2,15%

Ásia
*Nikkei (Japão), +2,02% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -5,34% (fechado)
*Hang Seng (Hong Kong), -4,86% (fechado)
*Xangai (China), -3,11% (fechado)

*Petróleo WTI, +0,35%, a US$ 22,71 o barril
*Petróleo Brent, -4,74%, a US$ 25,70 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda forte -5,98%, cotados a 629,000 iuanes, equivalentes a US$ 88,43 (nas últimas 24 horas). USD/CNY= 7,1124 (-0,25%)

*Bitcoin, US$ 5.791,29 -1,56%

2. Indicadores

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga na manhã de hoje o IPC-S da terceira quadrissemana de março. O Banco Central publica a pesquisa Focus, com as projeções do mercado para a economia, após o governo ter cortado a projeção do PIB para alta de 0,02% em 2020.

Antes disso, o Banco Central divulgou  a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em que cortou a Selic em 0,5 ponto percentual, para 3,75%, em meio aos impactos do coronavírus para a economia.

O documento manteve o tom considerado “hawkish” (duro, não indicando novas quedas) ao apontar que o BC vê como adequada a manutenção da Selic no novo patamar.

PUBLICIDADE

Contudo, destacou que o ambiente para os emergentes tornou-se desafiador, que o coronavírus provoca desaceleração significativa do crescimento global e que o BC continuará fazendo uso de todo o seu arsenal. Neste caso, novas informações são essenciais para tomar os próximos passos.

Nos Estados Unidos, o Federal Reserve de Chicago divulga o índice de atividade na sua área em fevereiro. Na União Europeia, será divulgada ao meio-dia a confiança do consumidor em março.

3. Política

O presidente Jair Bolsonaro chamou os governadores dos estados de “exterminadores de empregos” em entrevista a uma emissora de TV na noite de ontem. O presidente voltou a minimizar a epidemia e a atacar a imprensa.

“Você não me vê atacando nenhum governador, eles é que me atacam constantemente. Brevemente, o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia nesta questão do coronavírus”, afirmou o mandatário. Mas ,embora tenha atacado a imprensa, Bolsonaro a incluiu em decreto firmado no domingo entre os serviços essenciais que não podem parar por causa da pandemia. O decreto firmado ontem tem efeito imediato.

4. Judiciário 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu por seis meses o pagamento da dívida do Estado de São Paulo com a União, informa o jornal Folha de S. Paulo. Só nesta segunda-feira, deveriam ser pagos R$ 1,2 bilhão.

A medida do STF obriga o governo paulista a investir o dinheiro no combate à pandemia do coronavírus. “A pandemia é uma ameaça real e iminente, que irá extenuar a capacidade do sistema público de saúde, com consequências desastrosas para a população, caso não sejam adotadas medidas de efeito imediato”, escreveu o ministro. No pedido que fez ao STF, o governo de São Paulo alertou que 70% dos mais de 1.500 casos do coronavírus no Brasil estão no estado, que concentra 20% da população brasileira. A dívida do Estado de São Paulo com o governo federal soma R$ 247 bilhões.

5. Noticiário corporativo

A mineradora Vale comprou 5 milhões de kits de testes rápidos para detectar o coronavírus. Segundo a empresa, os kits dão o resultado em apenas quinze minutos. A Vale comprou os kits na China e eles serão doados ao governo brasileiro; a primeira remessa, de 1 milhão de unidades, deverá ser entregue à Vale na sexta-feira (27 de março) e poderá chegar ao Brasil na semana seguinte. Já a Via Varejo e a Lojas Marisa comunicaram no final de semana que fecharam todas as suas lojas no Brasil para tentar conter a epidemia do coronavírus. A Portobello divulgou balanço e informou um lucro líquido de R$ 13,1 milhões no ano passado.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

PUBLICIDADE

(Com Bloomberg e Agência Estado)