Mundo

Europa volta a cair com risco de default da Grécia, mas futuros dos EUA sobem com Fomc

Espera por indicação de uma alta dos juros mais lenta traz otimismo aos investidores no pré-market norte-americano; asiáticos têm dia de recuperação nas bolsas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As bolsas mundiais operam em queda nesta quarta-feira (17), segundo dia de reunião do Fomc (Federal Open Market Comittee) e de decisão do banco central dos Estados Unidos. Os mercados ainda refletem as preocupações com um possível default da Grécia à medida em que se aproxima o vencimento de uma parcela de 1,6 bilhão de euros da dívida do país com o FMI (Fundo Monetário Internacional). 

Às 08h27 (horário de Brasília), a maior queda entre os índices acionários europeus era da bolsa de Paris, que recua 0,68%, a 4.807 pontos. O índice DAX, da bolsa de Frankfurt cai 0,42%, a 6.682 pontos. 

O banco central da Grécia fez um alerta nesta quarta-feira de que o país pode entrar em um “curso doloroso” na direção do default e da saída da zona do euro se o governo e seus credores internacionais não alcançarem um acordo sobre ajuda em troca de reformas. Também disse que a desaceleração econômica do país deve se ampliar no segundo trimestre deste ano, e que a crise levou a saques de cerca de 30 bilhões de euros de bancos gregos entre outubro e abril.

Aprenda a investir na bolsa

Mais do que a decisão de juros do Comitê Federal de Mercado Aberto dos EUA, o que o mercado realmente espera são os comentários da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen. A chairman do BC da maior economia do mundo pode trazer em seu discurso indicações mais claras acerca de quando serão elevados os juros por lá. Os futuros dos índices Dow Jones e S&P subiam 0,17%, a 17.856 pontos e 0,14%, a 2.092 pontos respectivamente à espera de que as sinalizações sejam de uma alta de juros mais lenta. 

Ásia se recupera
O índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão saiu de mínimas de três meses nesta quarta-feira com uma retomada nas ações na China. As disputas intermináveis acerca da crise de dívida da Grécia também mantiveram o sentimento pendendo para ativos considerados portos-seguros. Tanto o índice japonês Nikkei quanto a bolsa de Taiwan fecharam em território negativo.

Um rali durante a sessão em Xangai trouxe um curto ânimo aos mercados asiáticos, reduzindo a queda para menos de 3 por cento desde terça-feira ante 5 por cento no começo do dia, antes da torrente de ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) que pode temporariamente abocanhar estonteantes 6 trilhões de iuanes (966,7 bilhões de dólares) de capital.

(Com Reuters)