Bolsas mundiais

Europa cai em dia “D” para Grécia; Na Ásia, bolsas repercutem Fomc e fecham em queda

As possibilidades de o país dar um calote ou abandonar a zona do Euro são tidas como reais e mexem com o humor dos investidores nesta sessão

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No dia decisivo de reunião da Grécia com seus credores em uma nova tentativa de acordo, os principais índices acionários europeus registram perdas. Às 8h26 (horário de Brasília), o benchmark pan-europeu FTSEurofirst 100 marcava queda de 0,15%, a 6.670 pontos, acompanhado pelo alemão DAX, que caía 0,58%, a 10.915 pontos. Os investidores atuam com cautela tendo em vista o retrospecto de sucessivos fracassos nas negociações da dívida grega. As possibilidades de o país dar um calote ou abandonar a zona do Euro são tidas como reais pelos especialistas.

Na véspera, o negociador oficial grego, Euclid Tsakalotos, confirmou à agência Reuters que o país não tem dinheiro suficiente para cobrir o pagamento da dívida de 1,5 bilhão de euros ao FMI (Fundo Monetário Internacional) até 30 de junho sem uma mudança do acordo para liberar um novo pacote de auxílio no montante de 7,2 bilhões de euros.

Enquanto isso, na Ásia, o pregão desta quinta-feira (18) foi de perdas para o índice de Xangai em meio às pressões geradas por uma nova leva de IPOs (ofertas públicas iniciais de ações, na sigla em inglês) e depois do resultado da nova reunião do Fomc (Federal Open Market Committee) nos Estados Unidos.

Aprenda a investir na bolsa

Depois de encontro de dois dias, o Fed disse que a economia norte-americana provavelmente está forte o bastante para sustentar um aumento na taxa de juros até o final do ano. A autoridade monetária, porém, reduziu as projeções de crescimento econômico em 2015 devido ao início fraco do ano e diminuiu a projeção para a taxa básica de juros.

No sentido oposto, o índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, avançava 0,51%. No sentido contrário, a bolsa em Tóquio fechou com queda de 1,13% pela alta do iene ante o dólar.