Mais sanções

EUA, União Europeia e Reino Unido anunciam sanções contra Putin e Lavrov

Segundo porta-voz da Casa Branca, as punições do governo americano contra os russos vão além das europeias e proíbem Putin e Lavrov de entrarem no país

Por  ANSA Brasil -

(ANSA) – Os Estados Unidos e a União Europeia (UE) anunciaram nesta sexta-feira (25) que vão impor sanções contra o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, após a invasão à Ucrânia.

Segundo a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, as punições do governo americano contra os russos vão além das europeias e proíbem Putin e Lavrov de entrarem no país. A decisão está alinhada a tomada por outras potências europeias.

De acordo com o alto representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell, os ministros das Relações Exteriores do bloco aprovaram formalmente o terceiro pacote de sanções, que prevê “o congelamento dos bens” de Putin e Lavrov.

O chanceler italiano, Luigi Di Maio, ressaltou que todos votaram por uma série de sanções mais severas, não só contra Putin e Lavrov, mas para bancos, empresas estatais, setores econômicos inteiros, porque esta “guerra pode desestabilizar todo o continente”. “Este é mais um passo para isolar diplomática e politicamente a Rússia”, afirmou.

Mais cedo, o governo britânico de Boris Johnson, também anunciou a extensão das sanções contra a Rússia em resposta à invasão da Ucrânia, congelando diretamente investimentos de Putin e Lavrov no país.

O Reino Unido incluiu os russos na lista de pessoas sancionadas, que contém mais de 100 empresas, bancos e indivíduos, incluindo oito oligarcas empresariais considerados próximos do Kremlin.

Em resposta, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que as sanções impostas a Putin e Lavrov refletem “absoluta impotência” do Ocidente no que se refere à política internacional.

Conflito 

Hoje, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, disse em entrevista coletiva que o presidente Putin tem que ordenar a retirada de tropas do território ucraniano.

Logo depois, o presidente dos EUA, Joe Biden, ordenou envio de reforços para os países da Otan na Europa e disse que os americanos irão fazer de tudo para defender cada centímetro do território dos membros da oraganização. Além disso, Biden disse que irá enviar ajuda econômica e humanitária para a Ucrânia. (ANSA)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe