AO VIVO COO do Mercado Livre fala sobre o impacto do coronavírus no no e-commerce; assista pelo seu celular no perfil do InfoMoney no Instagram

COO do Mercado Livre fala sobre o impacto do coronavírus no no e-commerce; assista pelo seu celular no perfil do InfoMoney no Instagram

Oportunidade de entrada

Estou aproveitando o pânico para comprar mais Petrobras, diz gestor de um dos melhores fundos de ações do Brasil

Henrique Bredda vê uma assimetria no mercado e afirma que nada mudou no case depois da decisão de ontem

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Com a queda de 14% das ações da Petrobras (PETR4) ante um mercado nada satisfeito pelo corte de 10% no preço do diesel e o congelamento dos preços por 15 dias, a principal pergunta entre os investidores nesta quinta-feira (24) não poderia ser outra: chegou a hora de sair dos papéis ou aproveitar a derrocada para reforçar a posição de compra?

Para Henrique Bredda, gestor do fundo Alaska Black FIC FIA – BDR Nível I, que rendeu 129,2% em 2016 e 74,6% em 2017, o mercado está exagerando e neste momento o papel está oferecendo uma boa oportunidade de entrada: “estamos torcendo muito para que o mercado fique muito apavorado para aproveitarmos a oportunidade de compra”, afirmou em entrevista ao InfoMoney.

Quer aproveitar essa oportunidade de compra em Petrobras e ainda pagar a menor corretagem do Brasil? Clique aqui e abra sua conta na Clear

PUBLICIDADE

Pelas contas de Bredda, os 15 dias de congelamento de congelamento do preço do diesel vão custar R$ 100 milhões em receita para a estatal, ou seja, 0,03% do valor de mercado da companhia, que com a queda está próximo de R$ 290 bilhões. Dito isso, a queda acumulada de 18% nesses dois dias representa até 600 vezes o valor do prejuízo de fato, ou seja, um valor injustificável.

Deste modo, o Bredda reitera seu otimismo com o rumo da empresa e afirma que esse episódio não mudou sua opinião sobre o case, que entrou na carteira do fundo no começo do ano no lugar das ações da JBS, conforme explicou em entrevista concedida ao InfoMoney em março – confira a entrevista completa.