Esclarecimento

Estoque de US$ 4 bi em Bitcoin não está à venda, aponta CEO da MicroStrategy

Segundo Michael Saylor, mais de US$ 3 bilhões em bitcoins da empresa permanecem livres

Por  CoinDesk

Michael Saylor, fundador e CEO da empresa de software de inteligência de negócios MicroStrategy, foi ao Twitter na manhã desta terça-feira (10) para esclarecer as obrigações do negócio em relação a seus empréstimos lastreados em Bitcoin (BTC).

“A MicroStrategy tem um empréstimo a prazo de US$ 205 milhões e precisa manter US$ 410 milhões como garantia”, disse Saylor. Fazendo referência a uma apresentação para investidores realizada no primeiro trimestre, ele falou que do estoque de 129.218 bitcoins da MicroStrategy, 115.109 (ou mais de US$ 3 bilhões a preços atuais) permanecem livres.

Segundo Saylor, o Bitcoin precisaria cair para US$ 3.562 antes que a empresa ficasse sem criptomoedas suficientes para se comprometer com esse empréstimo. Ainda assim, garante, mesmo que o preço do ativo chegue a esse patamar, a MicroStrategy poderia oferecer outras garantias. Sua conclusão, portanto, é que não há virtualmente preço baixo o suficiente que obrigue uma venda forçada de BTC por parte da empresa.

A forte desaceleração no mercado de criptomoedas – que na noite passada viu o Bitcoin cair abaixo de US$ 30 mil pela primeira vez desde julho de 2021 – aumentou as conversas sobre a MicroStrategy estar enfrentando uma chamada de margem (episódio em que o valor de garantia cai abaixo do exigido pela contraparte).

Em uma teleconferência de resultados realizada na semana passada, o antigo CFO do negócio, Phong Le, falou sobre o assunto, e sugeriu cerca de US$ 21 mil como ponto de liquidação. O tweet de Saylor e os slides da apresentação parecem deixar claro, no entanto, que a empresa, por ora, tem uma grande quantidade de Bitcoin disponível como garantia adicional.

As ações da MicroStrategy caíram quase 26% ontem acompanhando o forte recuo do Bitcoin. Os dois ativos saltaram modestamente nesta manhã -o papel da empresa operava em alta de 6,4%, e o Bitcoin retornou ao nível de US$ 32 mil.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe