À espera de assumir posto

Equipe de Silva e Luna já fez contato com Petrobras e prepara transição

Enquanto não assumir o posto, dificilmente o general deverá emitir sua opinião sobre os temas mais polêmicos da estatal

Joaquim Silva e Luna (Foto Marcelo Camargo - Agência Brasil)
Joaquim Silva e Luna (Foto Marcelo Camargo – Agência Brasil)

A equipe do general Joaquim Silva e Luna já entrou em contato com a Petrobras (PETR3;PETR4) para iniciar o processo de transição para a nova gestão da companhia, que deve ser iniciada entre o final de março e o início de abril.

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta terça-feira, 23, a realização de uma assembleia de acionistas da para aprovar o nome de Luna como conselheiro. O passo seguinte será elegê-lo presidente, no lugar de Roberto Castello Branco.

Enquanto não assumir o posto, dificilmente o general deverá emitir sua opinião sobre os temas mais polêmicos da estatal, informaram fontes próximas, como a forma que irá utilizar para tornar os preços dos combustíveis mais “transparentes e previsíveis”, como deseja o presidente da República, Jair Bolsonaro, e prioridade de Luna, e também sobre o processo de venda das oito refinarias da companhia.

Mas o entendimento do general é de que será buscado um equilíbrio nos preços, o que será feito com suporte técnico e sem atropelos. Os estudos, porém, já começam a ser feitos pela equipe, formada por um número pequeno de pessoas, segundo uma fonte, e que deve acompanhar o general na mudança para o Rio de Janeiro.

Leia mais: Reação exagerada? Os (poucos) sinais de alívio para a Petrobras após a derrocada de 20% da ação na segunda-feira

A percepção da equipe é de que a alta das ações da Petrobras nesta terça tornaram as perspectivas mais otimistas para a troca de comando da empresa, depois dos papéis da estatal perderem quase R$ 100 bilhões em valor de mercado após o anúncio do nome de Luna pelo presidente Jair Bolsonaro. Nesta terça-feira, parte das perdas foram revertidas e os papéis fecharam em alta de 12,17% a ação preferencial, e de 8,96% as ordinárias.

A interpretação é de que a alta das ações foi um sinal de aprovação ao nome de Luna, considerado um gestor eficiente após o trabalho feito na usina binacional Itaipu, um dos motivos que levou Bolsonaro a indicá-lo para a Petrobras.

Na sexta-feira, Bolsonaro está sendo esperado em Itaipu para participar do lançamento da revitalização das linhas de transmissão de Furnas, projeto de R$ 1 bilhão, que vai revitalizar o sistema da energia não consumida pelo Paraguai. No momento, segundo as fontes, o general está concentrado nesse projeto para deixar tudo acertado antes de sair da empresa, fechando um ciclo de dois anos.

Em curso gratuito, analista Pamela Semezzato explica como conseguiu extrair da Bolsa em um mês o que ganhava em um ano em seu antigo emprego. Deixe seu e-mail para assistir de graça.

PUBLICIDADE