Engie (EGIE3) lucra R$ 948 mi no quarto trimestre de 2023, alta anual de 6,4%

Companhia divulgou seus números trimestrais nesta noite de terça-feira

Felipe Moreira

Logotipo da Engie (crédito: REUTERS/Stephane Mahe)

Publicidade

A Engie (EGIE3) reportou lucro líquido de R$ 948 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 6,4% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a elétrica nesta terça-feira (27).

A empresa explica que o acréscimo é consequência da combinação da variação de efeitos não recorrentes com impacto líquido positivo de R$ 143 milhões, redução de R$ 13 milhões do imposto de renda e da contribuição social, considerando as transações recorrentes; aumento de R$ 6 milhões da depreciação e amortização e efeito positivo de R$ 4 milhões do resultado financeiro líquido.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 1,638 bilhão no 4T23, uma redução de 5,6% em relação ao 4T22.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A margem Ebitda ajustada atingiu 60,4% entre outubro e dezembro do ano passado, alta de 4,5 pontos percentuais (p.p.) frente a margem registrada em 4T22.

A receita líquida somou R$ 2,711 bilhões no quarto trimestre do ano passado, queda de 12,6% na comparação com igual etapa de 2022.

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE) ajustado foi de 34,9% no 4T23, alta de 2,9 p.p. frente ao ROE do 4T22.

Continua depois da publicidade

O preço médio de venda de energia, líquido dos encargos sobre a receita e operações de trading, foi de R$ 229,33/MWh no 4T23.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 424 milhões no quarto trimestre de 2023, uma elevação de 0,9% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022. 

Em 31 de dezembro de 2023, a dívida líquida da companhia era de R$ 15,335 bilhões, um recuo de 2,2% na comparação com a mesma etapa de 2022.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 2,1 vezes em dezembro/23, alta de 0,2 p.p. em relação ao mesmo período de 2022.