Enauta (ENAT3) adquire participação no Parque das Conchas por US$ 150 milhões; ações sobem 10%

Transação tem data efetiva em 1º de julho de 2023 e valor total de US$ 150 milhões

Felipe Moreira

Enauta _ divulgação

Publicidade

A Enauta (ENAT3) celebrou contrato para a compra da totalidade da participação de 23% detida pela QatarEnergy Brasil Ltda. nos campos de petróleo de Abalone, Ostra e Argonauta, que formam o Parque das Conchas na Bacia de Campos.

As ações da companhia valorizavam-se quase 10%, cotadas a R$ 20,20, por volta das 16h20, do pregão desta terça-feira (26).

Conforme a empresa, a transação tem data efetiva em 1º de julho de 2023 e valor total de US$ 150 milhões, sendo US$ 15 milhões desembolsados na assinatura. O saldo, ajustado ao fluxo de caixa do período, será pago em três parcelas, após a aprovação pelas autoridades.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Parque das Conchas é operado pela Shell, com 50% de participação, e a ONGC detém os 27% remanescentes.

Segundo comunicado, a produção atual é da ordem de 35 mil barris de óleo equivalente por dia de 25 poços conectados à plataforma afretada FPSO Espírito Santo. No primeiro semestre de 2023, a produção média foi de 28 mil barris de óleo equivalente por dia.

Os contratos de concessão atualmente têm vigência até 2032.

Continua depois da publicidade

Repercussão

O Morgan Stanley destaca que a aquisição é uma boa notícia para a Enauta.

“Embora seja uma participação não operacional, fornece à empresa parceiros sólidos (Shell e ONGC) e barris de petróleo com fluxo incremental antes de um ano importante com o próximo aumento do sistema de produção definitivo de Atlanta”, analisa o banco.

O Morgan Stanley mantém recomendação equal-weight (exposição igual a média do mercado, equivalente à neutro) e preço-alvo de R$ 14, pois vê oportunidades de crescimento mais claras nos pares brasileiros PRIO (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3).

Analistas pontuam que a Enauta dobrou a sua campanha em Atlanta com a sanção do sistema de desenvolvimento completo, mas eles acreditam que é pouco provável que o mercado precifique o projeto antecipadamente devido aos desafios operacionais do passado.