Employment Report: relatório deve mostrar criação de 150 mil vagas nos EUA

Temporada de vendas de final de ano e diluição de efeito das descontratações do Censo trazem estimativa de recuperação

SÃO PAULO – A economia norte-americana deu sinais de melhora nos últimos meses, produzindo indicadores positivos, ainda que em alguns momentos conflitantes, e com base na recente redução observada nos pedidos de auxílio-desemprego, é esperado que o mercado de trabalho ganhe novo impulso. Apesar da confiança do consumidor ter ficado abaixo do esperado, os gastos estão no melhor patamar em cinco meses, e o consenso de mercado aponta para a criação de 150 mil postos em dezembro, segundo estimativa do site Briefing.com.

Além dos indicadores divergentes, o período trouxe outras surpresas. A primeira foi a nevasca que atingiu os Estados Unidos por cerca de uma semana, a partir de 27 de dezembro, e afastou das lojas muitos compradores. “Uma mudança como esta nas condições climáticas pode ser um fator significante no registro de empregos nesta época do ano”, diz a equipe do banco Morgan Stanley, que cogita que a redução de ocupações em atividades externas, como lazer e construção, pode ofuscar o total de postos criados no período.

Ademais, a divulgação na terça-feira (5) do ADP Employment Report, que marca o número de postos mensais criados pelo setor privado no país, superou em quase três vezes a expectativa do mercado. Foram abertas 297 mil vagas no período, frente a criação de 92 mil postos em novembro, segundo dados revisados.

Setor privado
Os dados do ADP são tidos como uma prévia do Employment Report e a maioria das projeções realizadas por instituições financeiras desconsiderou números tão grandiosos como base de comparação. Ainda assim, é esperado que o setor privado contribua com 162 mil novos postos no período, de acordo com as estimativas do consenso divulgado pelo site Briefing.com. Já o Banco Santander espera a criação de 145 mil postos, que apesar de ser bastante superior ao observado nos meses anteriores, ainda está “longe do suficiente para compensar o crescimento da oferta de mão de obra”, segundo relatório.

“O setor privado adicionou uma média de 133 mil postos a cada mês, entre julho e outubro, antes de contribuir com os desanimadores 50 mil postos do mês anterior”, diz o JP Morgan em relatório. No entanto, a instituição espera que os dados de novembro tenham sido apenas um “soluço” numa série que mostra recuperação do mercado de trabalho e projeta a criação de 170 mil postos pelo setor privado em dezembro. 

“Nós esperamos uma retomada do varejo neste mês, já que as compras parecem ser fortemente estimuladas pela temporada de festas; prevemos um aumento de 10 mil vagas no varejo, após a retração de 28 mil em novembro”, conclui o JP Morgan. O Morgan Stanley é ainda mais otimista e projeta um aumento de 60 mil postos no varejo em dezembro. Por sua vez, o serviço de saúde deve adicionar 30 mil vagas e a construção civil deve permanecer estável, segundo o JP.

Setor público
Entre os responsáveis por demissões, destaque para a indústria, que deve ter fechado 5.000 postos, segundo estimativa também do JP Morgan. Da mesma forma, o governo pode ter contribuído com o fim de 10 mil vagas, em linha com o apurado no mês anterior, já que os efeitos das descontratações do Censo mostram-se bastante diluídos.

Taxa de desemprego
A estimativa do consenso de mercado para a taxa de desemprego nos Estados Unidos em dezembro é de 9,7% da PEA (População Economicamente Ativa), sinalizando uma economia em lenta recuperação. O número fica pouco abaixo dos 9,8% registrados no mês anterior, mas ainda perto das máximas históricas.

Em ata divulgada nesta terça-feira (4), o Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, ressaltou que apesar das melhoras nos indicadores do mercado de trabalho norte-americano nas últimas medições mensais, os níveis de emprego seguem “restritos”. A elevada taxa de desemprego é considerado um dos fatores que restringe o avanço da economia, ao lado do mercado imobiliário e o endividamento das famílias.

PUBLICIDADE

O relatório
O Employment Report ainda é composto por ganho por hora trabalhada – projeção de aumento de 0,1% para dezembro, 0,1 ponto percentual acima da medição do mês anterior, e pela média de horas trabalhadas – estimativa de 34,3 horas, em linha com o registrado em novembro.