EmbrapaTec

Embrapa coloca como prioridade criação de subsidiária para inovação no agronegócio

Projeto de lei para criar a EmbrapaTec entrou na Câmara dos Deputados em maio do ano passado

arrow_forwardMais sobre

A criação da Embrapatec é uma das prioridades para a Embrapa em 2017. Foi o que afirmou o presidente da empresa de pesquisa agropecuária, Maurício Lopes, durante a reunião comemorativa de dez anos do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag), órgão da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), realizada na última segunda-feira (06), na capital paulista. Segundo Lopes, a proposta é que a nova subsidiária funcione como um braço de conexão da Embrapa com o mercado de inovações.

O Projeto de Lei 5243/2016, de autoria do Poder Executivo, da época ainda da gestão da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que propõe a criação da Embrapatec, deu entrada na Câmara dos Deputados no dia 11 de maio do ano passado. Segundo informações da Câmara, o último trâmite relativo ao PL data de 08 de junho de 2016 na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviço (CDEICS).

PUBLICIDADE

De acordo com o PL, a EmbrapaTec terá por objeto social a negociação e a comercialização das tecnologias, dos produtos e dos serviços desenvolvidos pela Embrapa. Como justificativas para a criação da Embrapatec, o texto do PL destaca que um dos problemas que limita a capacidade da Embrapa em contribuir para um novo impulso à agricultura brasileira são as restrições à comercialização de seus inventos.

“Ao longo dos seus 43 anos, a Embrapa tem desenvolvido ativos, conhecimento e tecnologias de enorme potencial econômico e estratégico. Mas ainda falta à instituição um braço forte de conexão com o mercado de inovações, que lhe permita captar recursos externos, celebrar de forma célere parcerias com empresas para o desenvolvimento conjunto de inovações, e licenciar e comercializar ativos e produtos no Brasil e no mundo”, diz o texto.

Em discurso na Câmara em novembro, o deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT) solicitou que o PL fosse analisado em caráter prioritário. Além da Embrapatec, Lopes elegeu avanços em integração-lavoura-pecuária-floresta como outra prioridade para 2017.