Retomada pós-Covid

Embraer entrega 34 jatos no 2º tri e anima analistas; ações sobem na Bolsa

Ao fim de junho, a carteira de pedidos firmes da companhia totalizava US$ 15,9 bilhões, crescimento de 12% ante o primeiro trimestre deste ano

A Embraer Serviços & Suporte foi criada para alavancar os negócios pós-venda. Foto: Divulgação/Embraer

SÃO PAULO – A Embraer (EMBR3) divulgou nesta quarta-feira (21) que entregou um total de 34 aeronaves no segundo trimestre de 2021, sendo 14 comerciais e 20 executivos.

De acordo com a companhia, ao fim de junho a carteira de pedidos firmes (‘’backlog’’) totalizava US$ 15,9 bilhões, crescimento de 12% ante o primeiro trimestre deste ano – o que representa um retorno aos níveis pré-pandemia.

No período, as entregas de aeronaves executivas somaram 11 modelos Phenom 300 e cinco Praetor 600. Já entre os jatos comerciais, foram 14 entregas, sendo sete deles E175 e o restante, E195-E2.

No mesmo trimestre de 2020, a Embraer havia entregado apenas quatro aeronaves em meio à pandemia de coronavírus. Já nos primeiros três meses de 2021, a companhia entregou nove jatos.

De acordo com analistas do mercado financeiro, os dados são positivos e devem beneficiar o desempenho das ações da companhia. Os papéis EMBR3 fecharam o pregão desta quarta com alta de 3% na B3, negociados a R$ 18,87. Na máxima do dia, as ações chegaram a subir 4,6%, a R$ 19,17.

Em relatório divulgado nesta quarta, o Bradesco BBI destaca que as notícias são positivas para a companhia, uma vez que as entregas de aeronaves comerciais e jatos executivos superaram as estimativas do banco de nove e 18 aeronaves, respectivamente.

O fato de as entregas de aeronaves comerciais estarem menos concentradas no modelo E175 e o cliente lançador, Binter Canarias, ter recebido apenas um em sete E195-E2s, também deve contribuir para maiores margens da aviação comercial entre abril e junho, escreveram os analistas.

Com o anúncio positivo, o Bradesco BBI está agora ajustando suas projeções para incorporar as novas entregas no segundo trimestre. O banco mantém sua recomendação outperform (acima da média do mercado) e preço-alvo para 2022 em US$ 21,00.

Também em relatório divulgado hoje, o Itaú BBA escreve que a entrega de jatos veio acima do esperado pelo banco, de 11 aeronaves.

PUBLICIDADE

Na avaliação dos analistas, a forte carteira de pedidos reforça a tendência de recuperação observada no mercado de aviação regional, o que deve beneficiar as entregas comerciais da Embraer nos próximos anos. O banco reforça sua recomendação de outperform para os papéis da companhia, com preço-alvo estimado para 2021 em US$ 21.

Já a Guide Investimentos avalia que a Embraer tem demonstrado bom posicionamento estratégico este ano, por meio de diversas parcerias no exterior e que tem sido capaz de aproveitar a reabertura da economia, voltando a entregar aeronaves.

“Vemos como uma forte recuperação em relação ao ano passado, quando a fabricante passou por uma grande crise em decorrência da pandemia e da desistência da Boeing no acordo anunciado de compra de parte da empresa brasileira”, escrevem os analistas, em relatório.

Guilherme Benchimol revela os segredos de gestão das maiores empresas do mundo no curso gratuito Jornada Rumo ao Topo. Inscreva-se já.