Ibovespa no azul

Embalado pelo rali de final de ano, Ibovespa fecha 2012 com alta de 7,40%

Após início bom e meio de ano ruim, Ibovespa compensou as perdas nos últimos três meses do ano e fez com que índice registrasse ganhos, mas ainda longe de compensar perdas de 2011

SÃO PAULO – 2012 prometia um forte desempenho: após cair 18,11% em 2011, o Ibovespa começou o ano arrasador, registrando ganhos nos primeiros meses. Contudo, a volatilidade acabou prevalecendo no restante do calendário e o índice logo perdeu forças. Contudo, o breve rali visto em dezembro garantiu ao benchmark da bolsa brasileira um avanço de 7,40%, aos 60.952 pontos.

Os primeiros meses do Ibovespa pareciam registrar maior otimismo do mercado, uma vez que o índice registrou alta de 11,13% no primeiro mês do ano. Fevereiro seguiu esta alta: apesar da desaceleração, o benchmark da bolsa registrou ganhos de 4,34%. Neste período, mais precisamente no dia 13 de março, o Ibovespa registrou o maior patamar do ano, aos 68.394 pontos. Entretanto, a partir de março, o índice passou a registrar sucessivas quedas, desencadeadas pelo maior pessimismo com a crise da dívida soberana na Europa. 

Volatilidade ditou o tom do mercado no ano
O mês de maio foi o de maior queda do índice, com perdas de 11,86%, a mais expressiva desde outubro de 2008, quando os mercados ainda estavam sofrendo com a quebra do Lehman Brothers – naquele mês, o Ibovespa despencou 24,86%. Em maio, a piora da crise na zona do euro, com a possível saída da Grécia do bloco e os riscos de contágio para a região, levaram a um sentimento de maior aversão ao risco também nas bolsa brasileira. Completando em junho uma sequência de quatro meses no vermelho, o Ibovespa terminou o primeiro semestre com baixa de 4,23%

O começo do segundo semestre, contudo, foi mais positivo para a bolsa brasileira. O Ibovespa registrou altas dentre os meses de julho e setembro, fazendo com que o índice registrasse ganhos acumulados de 8,87% no terceiro trimestre de 2012. Entretanto, o impasse ainda existe na Europa somado à expectativa sobre as eleições nos EUA fizeram o benchmark cair 3,56% em outubro. O último bimestre de 2012, no entanto, reservou bons momentos para o índice, que voltou a subir mesmo com todo o impasse envolvendo o abismo fiscal nos EUA.

Assim, no último trimestre do ano, o benchmark da bolsa registrou ganhos de 2,70%, impulsionado principalmente pelos ganhos de dezembro.

Ações de destaque
No último mês de 2012, o destaque de alta ficou com as ações da MMX Mineração (MMXM3), com ganhos de 26,77%, aos R$ 4,45, enquanto os papéis do Marfrig (MRFG3) registraram a maior baixa, de 26,90%, aos R$ 8,48, em meio ao embargo de carnes no País.

No ano, o primeiro lugar do Ibovespa ficou com os papéis da Hypermarcas (HYPE3), com alta de 95,53%, aos R$ 16,62, enquanto os papéis da OGX Petróleo (OGXP3), em meio à crise de credibilidade da companhia, registraram baixa de 67,48%, aos R$ 4,38. 

Veja o desempenho do Ibovespa durante 2012: 

PeríodoDesempenho
do Ibovespa
Melhor açãoDesempenhoPior açãoDesempenho
Janeiro+11,13%Cia. Hering  +29,39%Telemar -7,22%
Fevereiro+4,34%Marfrig +31,55% Usiminas   -9,1%
Março-1,98% Usiminas ON +29,11%B2W  -24,55%
Abril4,17% Oi ON +17,6%PDG -28,68% 
Maio-11,86%CCR + 6,08%Usiminas ON  -49,62%
Junho-0,25% TAM* +20,33%OGX -44,89%
Julho+3,21% LLX +34,84%Eletropaulo -24,03%
Agosto+1,72% Gafisa +61,35%CTEEP -21,63%
Setembro+3,70% B2W  +33,63%Cesp  -31,16%
Outubro-3,56% B2W +18,62% OGX  -19,81%
Novembro+0,19% B2W +54,86%Eletrobras  -40,25%
Dezembro +6,05%MMX +26,77%Marfrig -26,90%
2012+7,40%Hypermarcas+95,53%OGX-67,84%

*Ação não é mais negociada na bolsa 

PUBLICIDADE