Surpresa

Em reunião de emergência, BC da Rússia surpreende e eleva juros de 10,5% para 17%

Autoridade russa tenta segurar a desvalorização do rublo, mas efeito pode ser sentido em outros mercados emergentes, como o Brasil, onde o dólar pode ter forte alta ante o real

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Banco Central da Rússia surpreendeu os mercados nesta segunda-feira (15) ao elevar a taxa básica de juro de 10,5% para 17% ao ano. A decisão ocorre após a moeda do país, o rublo, registrar sua maior desvalorização em 16 anos. “A decisão tem o intuito de limitar a depreciação substancial do rublo e os riscos inflacionários”, disse a autoridade monetária em comunicado.

Esta foi e sexta elevação realizada pelo BC apenas neste ano após chegar a gastar mais de US$ 80 bilhões de suas reservas internacionais com o objetivo de conter a queda de 49% do rublo, moeda que tem o pior desempenho em 2014 entre os mercados internacionais. Ainda nesta segunda, a autoridade disse que o país poderá cair em uma profunda recessão no próximo ano se os preços do petróleo permanecerem em US$ 60 o barril.

Na última semana, o Banco Central russo já havia elevado em um ponto percentual os juros no país. Na data, o presidente Vladimir Putin informou que poderia continuar elevando os juros, o que ocorreu hoje. A autoridade monetária prevê um crescimento próximo a zero para os próximos dois anos.

PUBLICIDADE

Esse tipo de medida é bastante importante para quem opera no mercado cambial, já que a Rússia, como um par emergente do Brasil, pode se tornar mais atrativa aos olhos do investidor internacional com essas taxas mais elevadas. Com isso, o câmbio no Brasil, que já vê o dólar disparar, pode ter uma nova arrancada com a saída de investidores daqui.

Vale lembrar o que ocorreu em janeiro deste ano, quando a Turquia elevou seus juros de forma surpreendente, o que disparou o dólar e os juros futuros por aqui.