Fechamento

Em meio ao nervosismo da eleição, bolsas dos EUA fecham a semana em queda

Índices fecham no vermelho a despeito do relatório mostrar maior geração de empregos; Apple cai mais de 3%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO –  As principais bolsas norte-americanas acentuaram as perdas no decorrer do dia e encerram o pregão desta sexta-feira (2) no campo negativo, em meio à expectativa pelas eleições presidenciais norte-americanas, disputada entre o presidente democrata Barack Obama e seu opositor republicano Mitt Romney.

Com isso, o índice Dow Jones e Nasdaq terminaram a semana com queda de 0,11% e 0,19%, enquanto o S & P 500 registrou leve ganho de 0,16%.

Nesta sessão, o índice Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia, fechou em baixa de 1,26% a 2.983 pontos.  O Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, encerrou o pregão em desvalorização de 1,05% atingindo 13.090 pontos, enquanto o S&P 500, que engloba as 500 principais empresas dos EUA, apresentou queda de 0,94% chegando a 1.414 pontos.

Dados de emprego surpreendem
A queda acontece a despeito do relatório de emprego, que mostrou avanço na geração de empregos no país, e com os investidores atentos aos balanços trimestrais reportados por importantes empresas.

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos revelou que a taxa de desemprego do país subiu de 7,8% para 7,9% em outubro. Contudo, a geração de emprego registrou melhora acima das expectativas no período, passando de 148 mil postos de trabalho para 171 mil em outubro.  

Ainda na agenda econômica, as encomendas à indústria norte-americana subiram em setembro para 4,8%. O indicador registrou resultado acima do esperado pelo mercado e o maior aumento desde março de 2011. 

Destaques corporativos
Entre as notícias em destaque no setor corporativo, a Apple registrou queda de 3,31%, no dia em que começou a vender o mini Ipad.

 A Verizon (-1,37%) também caiu após afirmar que seus resultados podem ser significativamente afetada pelo furacão Sandy. 

Também sofrendos as consequências da tempestade, a Delta (0,00%), que disse que cancelou 3.500 voos a afirma que o furação Sandy vai impactar negativamente seu lucro em outubro em US$ 20 milhões. 

PUBLICIDADE

Entre as companhias que divylgaram os seus resultados, a Chevron (-2,77%) reportou lucro muito menor que o esperado nesta sexta-feira, com paradas para manutenção exacerbando a queda na produção de petróleo e gás natural e com um grande incêndio na planta da Califórnia atingindo o segmento de refino.

Já a Thomson Reuters Corp (-1,12%) reportou uma queda de 15% no seu lucro operacional por causa do declínio de receitas e custos mais elevados em sua divisão que serve a indústria financeira.

Economia encolhe na zona do euro
Enquanto isso, na Zona do Euro, a atividade industrial encolheu pelo 15º mês seguido em outubro, com queda na produção e nas encomendas, indicou uma pesquisa nesta sexta-feira (2), alimentando expectativas de novas medidas de flexibilização do Banco Central Europeu (BCE).

As fábricas eram a força motriz por trás de recuperação do bloco da última recessão, mas o abrandamento da atividade fabril, que começou em países periféricos, já envolveu membros centrais como Alemanha e França.

A atividade industrial da Alemanha também encolheu para oitavo mês seguido em outubro, com a queda da demanda na Europa e menores níveis de investimento na Ásia pesando sobre as novas encomendas de produtos alemães, mostrou uma pesquisa nesta sexta-feira.

 O Índice de Gerentes de Compras (PMI), do Instituto Markit, para o setor industrial da Alemanha caiu para 46,0 em outubro, ante 47,7 no mês anterior. A leitura final ficou levemente acima de dados preliminares, de 45,7, mas ainda abaixo de 50, o que indica contração da atividade.

Confira o desempenho dos principais índices acionários norte-americanos:

% Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
 S&P 500-0,941.414-2,45+12,55 
 Dow Jones-1,0513.090-2,97+7,17 
 Nasdaq-1,262.983-4,85+14,51