Perspectiva

Em meio à definição sobre contratos de energia, Ibovespa pode estender alta

Embora intervenções do governo ainda gerem bastante insegurança, último mês do ano promete abrir caminho para altas mais robustas, avalia analista

SÃO PAULO – Em sessão instável, o Ibovespa conseguiu terminar a segunda-feira (3) no campo positivo, com ganhos de 1,27%, aos 58.202 pontos. Uma força negativa veio após a divulgação do indicador de atividade industrial nos Estados Unidos, que veio abaixo do esperado. Mas o mercado retomou os ganhos perdidos durante a tarde, ainda mostrando otimismo com os dados da indústria da China e a possível liberação da ajuda internacional à Grécia.

Também chamou a atenção dos investidores o aviso de Timothy Geithner, secretário do tesouro norte-americano, que o partido Republicano aceitará o aumento de impostos por lá. 

Ibovespa deve seguir em alta pelo 2° pregão consecutivo
Esse desempenho altista do mercado visto na véspera deve permanecer neste pregão, embora as intervenções do governo ainda gerem bastante insegurança entre os investidores, aponta o analista Alan Soares, da Trader Brasil.

O último mês do ano costuma mostrar um forte rali, o que acaba sustentando essa avaliação. Nos últimos 15 anos, o Ibovespa só apresentou queda no mês de dezembro em 1998 e 2011, e mesmo nesses dois anos, os recuos foram compensados por altas expressivas no mês seguinte. 

O analista recomenda aos investidores ficarem de olho nos papéis da Ambev (AMBV4), Souza Cruz (CRUZ3), Lojas Americanas (LAME4) e Natura (NATU3), que vêm performando “muito bem” nos últimos meses. 

Já entre as referências para essa sessão, a agenda de incadores perdará um pouco de força, com destaque para os indicadores de produção industrial do Brasil, além da da decisão sobre assinatura dos contratos das renovações de concessões do setor elétrico.