Opinião

El-Erian: economia dos EUA ainda não dá sinais suficientes para que Fed corte QE3

Fundador da maior gestora de fundos de investimentos do mundo diz que dados dos EUA mostram melhora, mas não necessária para diminuição do programa de estímulos

Por  Paula Barra -

SÃO PAULO – A economia norte-americana ainda não dá sinais fortes o suficiente para que o Federal Reserve corte seu programa de estímulos à economia dos Estados Unidos, Quantitative Easing III, acredita Mohamed El-Erian, fundador e CEO (Chief Executive Officer) da Pimco, maior gestora de fundos de investimentos do mundo.

“Nós acreditamos que o Fed vai se manter frio. Para os economistas, isso confirma o que você já escutou algumas vezes: a economia está melhorando, mas não tão rapidamente quanto era esperado”, disse El-Erian, em entrevista à Bloomberg.

Em entrevista à Bloomberg, El-Erian afirmou que os dados da economia dos EUA ainda não estão fortes o suficiente, mas também não tão fracos para esperar um aumento no QE3, que atualmente compra US$ 85 bilhões em títulos públicos. 

Perguntado se autoridade monetária norte-americana está fazendo o trabalho certo para reduzir o desemprego nos EUA, El-Erian disse: o Fed está ganhando tempo, assim como o BCE (Banco Central Europeu) e o banco central do Japão. “O Fed está ganhando tempo para que o sistema sare e Washington acorde e faça a coisa certa”, complementou.

Em relação ao mercado imobiliário, El-Erian comentou que estabilizou, o que é realmente importante, mas os elementos principais para indicar uma melhora na economia e trazer mais empregos são os dados da família e do setor corporativo. Segundo ele, é preciso ver as empresas investindo mais e as famílias tendo mais confiança em suas capacidades de gerar ganhos. 

Compartilhe