Risco X

Eike usa US$ 1 bi de sua riqueza pessoal como garantia para empréstimo do BNDES

Informações foram obtidas pela Bloomberg; banco de fomento estatal é um dos mais expostos à dívida do grupo X

SÃO PAULO – Em meio à crise no grupo EBX, o empresário Eike Batista estaria usando R$ 2,3 bilhões de sua riqueza pessoal – ou US$ 1 bilhão – de garantia para os empréstimos concedidos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), de acordo com informações obtidas pela Bloomberg

Os empréstimos são parte dos R$ 10,4 bilhões que as empresas de Batista tiveram tendo o banco estatal de fomento desde 2007. O BNDES não informou à Bloomberg quanto deste montante de dívida ainda está pendente. 

As informações estão em linha com um relatório divulgado pelo Bank of America Merrill Lynch, que destaca que os bancos estatais BNDES e Caixa Econômica Federal são os mais expostos à dívida do grupo EBX. 

PUBLICIDADE

Eike Batista, fundador e presidente da OGX Petróleo, viu sua fortuna, hoje de US$ 4,1 bilhões, cair mais de US$ 30 bilhões desde março de 2012, após problemas seguidos em atingir as metas para as suas empresas iniciantes.

A crise do grupo, que já era grave, agravou-se ainda mais no início desta semana, quando a OGX anunciou a suspensão do desenvolvimento dos campos de Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia, além da adequação do afretamento de unidades de produção. De acordo com a companhia, os poços atualmente em operação poderão cessar a produção ao longo de 2014. Com isso, em meio à reduções de preços-alvo e rebaixamento de rating, as ações OGXP3 acumulam queda de 43% em apenas duas sessões, levando outros ativos do grupo para baixo.