Efeito FED faz bolsas latino-americanas subirem

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas fecharam em alta nesta quinta-feira, apesar do fraco desempenho dos índices norte-americanos. Às 15h46 de Nova York, o Nasdaq Composite registrava variação negativa de 1,96%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P500 apresentavam baixas de 0,37% e 1,14%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou com variação positiva de 2,37%, ainda sob o efeito da euforia da redução da taxa básica de juros norte-americana, realizada pelo FED ontem. Hoje o presidente argentino, Fernando de la Rúa, reuniu-se com o ministro da economia, Jose Luis Machinea para analisar a decisão do FED. Após o encontro, o presidente argentino declarou que se as condições externas continuarem favoráveis o país poderá crescer mais de 4% em 2001, como havia sido previsto pelo governo no final ano passado.
Os destaques de alta da bolsa argentina ficaram para as ações da Sociedad Comercial del Plata (+7,69%), da Telecom Argentina (+7,36%) e da Transportadora de Gas del Sur (+6,58%). Por outro lado, as maiores quedas entre os componentes do índice Merval ficaram para a Telefônica (-3,58%), para a Astra Compania Argentina de Petróleo (-2,73%) e para a Garovaglio y Zorraquin (-1,27%).

O índice IPC da Bolsa Mexicana encerrou o pregão em alta de 3,14%, registrando variação positiva por dois pregões consecutivos. Segundo analistas mexicanos, o pregão de hoje foi marcado por compras inesperadas de grupos estrangeiros em diversos papéis locais, como Telmex e Televisa.
Nesta quinta-feira, o jornal mexicano La Jornada divulgou que o governo irá promover reformas para impulsionar o mercado de capitais no México, com objetivo de incentivar o crescimento dos intermediários financeiros e, conseqüentemente, crir uma ampla variedade de opções de investimento. Para isso, o governo pretender criar leis que protejam o pequeno investidor, desenvolver o mercado de dívida pública e produtos derivados e diminuir os custos de transação.

As maiores altas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações do Grupo Elektra (+8,31%), da Telmex (+4,73%) e do Grupo Televisa (+4,39%). Contrariando a tendência da bolsa mexicana, os destaques de queda ficaram para as ações da Organizacion Soriana (-3,28%), da Corporacion Interamericana de Entretenimiento (-2,65%) e da Desc Sociedad de Fomento Industrial (-2,56%).
O Grupo Industrial Saltillo fechou em ligeira queda de 0,18%, após a divulgação que o grupo desativou três fornos da sua fábrica revestimentos de cerâmica Vitromex devido ao elevado custo do gás natural.

O índice IPSA da Bolsa de Santiago fechou em alta de 0,82%. Hoje, o INE, Instituto Nacional de Estatísticas, anunciou que o índice de preço ao consumidor em dezembro registrou uma variação de 0,1% em relação ao mês anterior, acumulando variação de 4,5% no ano 2000. O ministro da economia, Jose de Gregório, declarou que os números indicam que a economia chilena continuará crescendo em 2001 e que o país poderá ter o maior crescimento da América Latina. Para Gregório, a inflação do Chile já está controlada e todos os esforços agora devem se voltar para o problema do desemprego.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa +0,46%
Venezuela IBVC+0,60%
Colômbia IBB -0,13%
Peru ISBVL+0,79%

Compartilhe