Balanços

Ecorodovias vê lucro crescer 23% no 1º trimestre, para R$ 103 milhões; Tupy tem prejuízo de R$ 207,5 milhões

Empresas divulgaram hoje, depois do fechamento do mercado, os números do primeiro balanço de 2020

SÃO PAULO — A Ecorodovias (ECOR3) anunciou nesta segunda-feira (29) que teve lucro líquido de R$ 103,3 milhões no primeiro trimestre de 2020. O valor representa uma alta de 23% sobre o mesmo período do ano passado.

Já a receita líquida pró-forma da empresa ficou em R$ 768 milhões entre janeiro e março deste ano, uma alta de 15,6% sobre o valor visto no primeiro trimestre de 2019. Analistas consultados pela Bloomberg esperavam algo em torno de R$ 925,3 milhões.

A companhia encerrou os três primeiros meses do ano com Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) pró-forma de R$ 530,4 milhões — um salto de 17,8% na comparação anual.

Assim, a margem Ebitda pró-forma da companhia (relação percentual entre a receita líquida e a geração operacional de caixa medida pelo Ebitda) foi de 69,1%, 1,3 ponto percentual acima do registrado nos três primeiros meses de 2019.

A dívida líquida da Ecorodovias também aumentou de um ano para o outro — no primeiro trimestre deste ano, foi para R$ 6,818 bilhões, 35,1% acima do valor visto em igual período de 2019.

“Diversas medidas estabelecidas pelos governos e pelo setor privado, em função da pandemia, geraram impactos relevantes nos negócios da Ecorodovias. Para minimizar os impactos, a companhia vem atuando proativamente, em coordenação com governos e órgãos reguladores”, destacou a empresa no balanço.

Tupy

A Tupy (TUPY3) também divulgou nesta segunda seu balanço do primeiro trimestre de 2020. A empresa teve prejuízo de R$ 207,5 milhões, comparado ao lucro de R$ 80,442 milhões visto um ano antes.

O desempenho, segundo a companhia, é decorrente do impairment de ativos intangíveis, da marcação a mercado de instrumentos derivativos utilizados no cálculo de créditos da Eletrobras e operações de hedge, e da variação cambial sobre impostos diferidos das operações no México, sem efeito caixa.

A receita da companhia ficou em R$ 1,093 bilhão, o que representa uma queda de 14,7% na comparação anual. Já o Ebitda ajustado da empresa foi de R$ 164,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, aumento de 20,2% sobre o resultado do mesmo período do ano passado.

“Em resposta à redução de demanda e às paradas bruscas das operações de nossos clientes em todo o mundo, acionamos os nossos anéis de defesa, um conjunto amplo de ações pré-definidas para reduzir custos e preservar o caixa da companhia”, disse a Tupy, destacando, entre outras coisas, a flexibilização da produção e a redução de jornadas e salários, além da suspensão temporária de contratos de trabalho.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!