Mundo "X"

“É hora de comprar ações de empresas do Eike”, diz analista de gestora

Henri Evrard, da Infinity Asset, acredita que os papéis das empresas do Grupo EBX possuem grande potencial de valorização

SÃO PAULO – Em meio à grande desconfiança do mercado, as ações das empresas de Eike Batista amargam mais um dia de quedas – que já depreciaram os papéis em mais de 50%. Para muitos, essa se tornou uma oportunidade para obter os papéis das empresas listadas na BM&FBovespa que compõem o grupo EBX: OGX Petróleo (OGXP3), MMX Mineração (MMXM3), OSX Brasil (OSXB3), MPX Energia (MPXE3), LLX Logística (LLXL3) e CCX Carvão (CCXC3).

“Agora é a hora de começar a montar a posição nos papéis do Eike Batista”, afirma Henri Evrard, analista da Infinity Asset. Para ele, as quedas desses papéis neste ano levaram esses ativos, com grande potencial, para patamares bastante atrativos. “A OGX é uma que se você comprar no nível atual, vai dar para vender a R$ 6,00 fácil depois”, destaca.

Risco “X” não elimina grande potencial
Para ele, há um risco inerente desses papéis, a presença do controlador Eike Batista e a impaciência do mercado com os seus projetos muitas vezes. O mercado pune a OGX com queda de mais de 50% em 2012 por conta da produção menos que a estimada, mas ignora que a companhia possui um índice de sucessos exploratórios muito alto e começou a produção em tempo recorde.

“Existe o risco ‘X’, mas elas tem seu valor”, acredita o analista. Ele destaca que o mercado foi muito otimista no começo, o que abre margem para decepção conforme alguns problemas – inerentes de empresas que acabam de iniciar a produção. “Teve muita fé no começo dessas empresas, no IPO (Oferta Inicial de Ações), botaram mundos e fundos nos papéis”, complementa.

Vale a pena destacar que uma “estratégia de diversificação” não é válida com os papéis de Eike Batista, explica Evrard. “Tem que entender que é tudo igual, é uma coisa só”, avalia o analista, destacando que a maioria dos papéis possui grande potencial, mas ressaltando LLX – que o Bank of America avalia ter preço justo próximo dos R$ 7,00, OGX e OSX, que na opinião do analista vale cerca de R$ 15,00.

R$ 6,30 é piso, não é teto
O primeiro homem a mostrar confiança nas empresas do megaempresário é o próprio Eike Batista, um movimento que agrada Evrard. “Fiquei impressionado positivamente quando ele concedeu a put de US$ 1 bilhão para a OGX”, destaca, lembrando evento em que Eike tentou “blindar” a sua empresa de um possível problema com caixa.

A notícia foi bastante criticada na época – já que muitos investidores afirmaram que isso criaria um teto para os papéis OGXP3, os principais do grupo, aos R$ 6,30. Evrard não concorda com tal informação. “Acho que não cria um teto, já que é um patamar em que o controlador está comprando, não se sabe a quanto ele está vendendo”, avalia o analista. 

“Isso é praticamente um piso, nos R$ 6,30, um patamar que o Eike acredita ser bastante atrativo”, finaliza. Com os papéis no subsolo, abaixo do piso imposto por Eike, OGXP3 pode estar bastante atrativa para o investidor buscando ganhos no longo prazo.