Dólar comercial mantém trajetória de perdas e opera abaixo de R$ 2,02

Noticiário corporativo mantém humor do mercado; ata do Fed e saldo positivo do fluxo cambial também são analisados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Ampliando as perdas apresentadas durante a manhã, o dólar comercial opera com desvalorização de próxima de 1%, caminhando para sua terceira queda consecutiva. Referências corporativas e econômicas externas desta quarta-feira (20) foram bem recebidas pelos investidores. Por aqui, destaque para o fluxo cambial.

Contribuindo para o bom humor visto no mercado, o Bank of America conseguiu levantar US$ 13,47 bilhões em uma oferta pública de ações. Já a General motors afirmou que possui três ofertas de compra para sua unidade europeia, a Opel.

Nesta tarde, foi divulgada a minuta do Federal Reserve referente à sua última reunião, realizada em 29 de abril, quando foi mantido o juro básico norte-americano entre 0% e 0,25%. O documento revela novos cortes nas projeções para a economia do país em 2009, embora a situação econômica tenha demonstrado leve melhora nas últimas semanas.

Agenda doméstica

Aprenda a investir na bolsa

Por aqui, o fluxo cambial apresentou um saldo positivo de US$ 2,059 milhões no acumulado dos dez primeiros dias úteis de maio, diminuindo seu déficit anual para US$ 516 milhões.

Ainda no âmbito interno, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) apresentou uma deflação de 0,14% no segundo decêndio de maio.

Confira as cotações do dólar

dólar comercial opera cotado a R$ 2,0160 na compra e R$ 2,0180

na venda, baixa de 0,84% em relação ao fechamento anterior. No mercado paralelo, a moeda norte-americana opera negociada a R$
2,3000, representando um ágio de 14,09%
em relação ao dólar comercial.
Com esta queda, o
dólar acumula desvalorização de 7,56% em maio, frente
à baixa de 5,58% registrada no mês passado.

No ano a desvalorização acumulada da moeda norte-americana
já chega a 13,65%.

Dólar futuro na BM&F
também opera em queda

PUBLICIDADE

Na BM&F, o contrato futuro com vencimento em junho
opera cotado a R$ 2.024,
forte baixa em relação ao fechamento
de R$ 2.046

da última terça-feira. O contrato com vencimento em julho, por sua vez, opera em forte baixa,
atingindo R$ 2.039 frente
à R$ 2.059 do fechamento de

ontem.