Dólar à vista fecha praticamente estável entre exterior e fiscal

O dólar caiu na comparação com a maioria das divisas emergentes e de países exportadores de commodities

Estadão Conteúdo

Dólar e Real (Foto: Getty Images)

Publicidade

Com trocas de sinal ao longo da tarde, o dólar à vista encerrou o pregão desta segunda-feira, 27, em alta de 0,03%, cotado a R$ 4,8997. Segundo operadores, a formação da taxa de câmbio se deu em meio a pressões distintas, o que explica o vaivém das cotações. Depois de duas sessões de baixa liquidez no fim da semana passada, em razão do feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA, o giro foi robusto hoje, com o contrato de dólar futuro para dezembro movimentando mais de US$ 15 bilhões.

Pela manhã, com a queda das taxas dos Treasuries e o sinal predominante de baixa da moeda americana no exterior, o dólar ensaiou uma baixa mais forte no mercado local e desceu até a mínima a R$ 4,8725. A maré virou no início da tarde, quando houve um desconforto com a questão fiscal doméstica, em meio ao pedido de vistas do julgamento em torno do pagamento de precatórios no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo ministro André Mendonça.

Temores de que malograsse o plano do governo de quitar R$ 95 bilhões em precatórios neste ano com crédito extraordinário, em razão do pedido de vistas no STF, deflagraram uma onda compradora que levou o dólar a correr até a máxima a R$ 4,9215. Sem a resolução do imbróglio dos precatórios, haveria ainda mais dificuldade para cumprimento da meta fiscal de 2024, já vista com ceticismo pelos investidores.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Logo em seguida, contudo, os ministros Dias Toffoli e Alexandre de Moraes anteciparam seus votos favoráveis e formaram maioria no STF para autorizar o governo abrir crédito extraordinário em 2023 para quitar os precatórios. Além disso, apesar do prazo do pedido de vistas ser de 90 dias, o ministro André Mendonça sinalizou que devolverá os autos do processo para julgamento nos próximos dias, segundo fonte ouvida pelo Broadcast. Foi a senha para realização de lucros intraday que levou o dólar orbitar R$ 4,90 ao longo da tarde.

O sócio e head de câmbio da Nexgen Capital, Felipe Izac, afirma que a instabilidade do dólar revela cautela por parte dos investidores e a falta de “gatilhos” mais fortes para formação de posições. No exterior, o mercado busca entre indicadores sinais de conformação da expectativa de pouso suave da economia americana e de possível corte dos juros pelo Federal Reserve ainda no primeiro semestre de 2024. No Brasil, a grande influência para a formação da taxa de câmbio vem de mudanças na percepção de risco fiscal em meio aos esforços do governo para aprovar medidas para aumentar a arrecadação.

“No momento, falta um ‘trigger’ mais forte para o câmbio. Do ponto de vista gráfico, vejo uma resistência muito forte do dólar em R$ 4,90 e R$ 4,91. Quando toca esses níveis, há uma entrada de empresas exportadoras. Já quando a taxa fica abaixo de R$ 4,90, vemos ordens de compra de importadores”, afirma Izac.

Continua depois da publicidade

No exterior, o índice DXY – que mede o comportamento da moeda americana em relação a uma cesta de seis divisas fortes – operou em leve queda ao longo do dia e, no fim da tarde, rondava os 102,200 pontos. O dólar caiu na comparação com a maioria das divisas emergentes e de países exportadores de commodities, embora tenha subido em relação a dois pares latino-americanos do real, os pesos mexicano e chileno.