Opinião

Doações para Ucrânia mostraram o melhor e o pior das criptomoedas

Se você tentou ganhar dinheiro com os esforços de arrecadação de fundos da Ucrânia, sua alma e seu cérebro estão quebrados

Por  CoinDesk -

*Por David Z Morris

As criptomoedas têm tido papel central para o desdobramento da invasão da Ucrânia, que recentemente teve até sua usina nuclear capturada pelas forças russas.

Alguns se perguntam se os criptoativos podem ser úteis para evitar as sanções devastadoras impostas contra o governo da Rússia e os comparsas de Vladimir Putin (a resposta é provavelmente não). Mais amplamente, as sanções marcam uma politização do sistema bancário global que valida muitos dos pontos em que as criptomoedas se basearam.

A comunidade cripto também deu o seu melhor com uma campanha de arrecadação de fundos verdadeiramente notável. Depois que a Ucrânia configurou carteiras oficiais para receber Bitcoin (BTC) e Ethereum (BTC), os entusiastas do mercado doaram aproximadamente US$ 60 milhões em ativos digitais.

Para efeito de comparação, o governo dos EUA está atualmente debatendo um pacote de ajuda de US$ 6 bilhões para o país – ou seja, os detentores de criptomoedas já doaram cerca de 0,75% do que os EUA podem, talvez, dar. E as criptos chegaram quase instantaneamente, no meio de uma invasão em andamento, sem amarras. Segundo informações, elas já estão sendo usadas para comprar suprimentos para o esforço de guerra da Ucrânia.

Isso torna as doações de criptomoedas, considerando os valores e os custos, consideravelmente mais úteis do que os fundos que os EUA eventualmente enviarão. Isso mostra o poder das criptomoedas como tecnologia, e não pode prejudicar a reputação da comunidade.

Mas houve pelo menos um lado obscuro nessa história, na forma de uma aparente ganância dos infames oportunistas desse mercado.

Na quarta-feira (2), a Ucrânia informou que daria criptos por meio de um “airdrop” para aqueles que haviam feito doações. Um airdrop é uma distribuição gratuita de tokens ou criptomoedas para vários endereços. Havia poucos detalhes sobre qual ativo poderia ser enviado, mas um palpite razoável seria algum tipo de token de “agradecimento” com pouco valor monetário explícito.

Mas, mesmo tokens com pouco ou nenhum valor explícito podem fazer coisas muito estranhas no mercado de criptomoedas, que às vezes parece um cassino. Por exemplo, o token “PEOPLE” da ConstitutionDAO atingiu um valor de mercado de mais de US$ 800 milhões em dezembro, embora tenha sido lançado para gerenciar apenas US$ 40 milhões em doações iniciais.

Essa história ajuda a entender o que aconteceu a seguir: um aumento maciço de pequenas doações para os endereços das carteiras da Ucrânia. De talvez algumas centenas de doadores por hora, o volume subiu para vários milhares. Embora isso pareça superficialmente uma onda de generosidade, na verdade é tudo menos isso.

Em vez disso, essa onda de pequenas doações parece representar em grande parte um esforço para “burlar o airdrop”, conforme citou este usuário no Twitter. Boa parte parece ter sido uma pequena doação de US$ 30 em Ether. De acordo com esta análise, mais de 20% eram novas carteiras criadas apenas para doações.

Isso sugere que os novos doadores esperavam fazer uma doação mínima e receber tokens do aridrop, que de alguma forma poderiam acabar valendo mais do que as doações. A geração de carteiras totalmente novas sugere ainda o chamado ataque Sybil, que ocorre quando os usuários fingem ser várias pessoas para que possam reivindicar o airdrop mais de uma vez.

Esse tipo de comportamento foi de certa forma normalizado pelos autoproclamados “degens”, pessoas que procuram rendimento fácil em projetos duvidosos de finanças descentralizadas (DeFi) e que gastam tempo maximizando retornos de todos os tipos.

Existe até uma certa lógica para encorajar comportamentos abusivos entre os usuários de sistemas financeiros abertos, porque isso ajuda a testar a resiliência deles enquanto ainda são de nicho e experimentais.

Mas, à medida que esses sistemas colidem de repente com a sombria realidade da guerra, como a que ocorre hoje no mundo, esse “comportamento vale tudo” parece menos com testes de sistemas experimentais e mais com especulação antiquada de guerra.

Se você é um daqueles que tentaram manipular os esforços de angariação de fundos de uma nação democrática sendo invadida pelas forças de um ditador cruel e ex-espião… bem, fique com isso por um momento.

Talvez também fique com o fato de que os registros de blockchain do que você fez estarão por aí enquanto o Ethereum existir. É perfeitamente possível para qualquer um curioso e suficientemente motivado descobrir quem são aqueles que tentaram fazer lucro no meio de uma guerra. Você criou um registro permanente de sua própria falta de virtude e de sua desonra.

E, no final, você ficou de “mãos abanando”. Talvez em parte por causa da tentativa de ataque Sybil, o ministro da transformação digital da Ucrânia anunciou na quinta-feira (3) que a distribuição de tokens seria cancelada. Houve menção da emissão de NFTs pela Ucrânia, mas não está claro se isso seria um airdrop ou um esforço separado de arrecadação de fundos.

Então, parabéns, degens – vocês se queimaram. Não apenas financeiramente, mas eticamente.

A boa notícia é que essas travessuras provavelmente acabarão como uma nota de rodapé na onda de doações de criptomoedas genuinamente úteis. Essa seria a reivindicação mais profunda possível do setor cripto e das finanças abertas. Porque, claro, existem muitos canalhas egoístas por aí. Mas se você deixar as pessoas tomarem suas próprias decisões, a maioria tomará a decisão certa.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe