Perspectiva

Direto ao ponto: Ibovespa deve caminhar para 3ª sessão de perdas

Além da temporada de balanços corporativos no Brasil, descasamento do horário com bolsas dos EUA deve continuar deixando mercado instável

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa terminou a última quinta-feira (8) em queda de 1,70% aos 57.524 pontos – perdas fortes pelo segundo pregão consecutivo -, na esteira das bolsas norte-americanas, que derrubaram o mercado logo após sua abertura – os principais índices acionários dos EUA estão iniciando as negociações às 12h30 (horário de Brasília) desde segunda-feira.

O descasamento de horários entre a Bovespa e as bolsas norte-americanas tem provocado barulho nas mesas de operações. Os profissionais que negociam nas mesas falam sobre a falta de direção do Ibovespa e da redução de liquidez do mercado nacional nas primeiras horas. Com isso, o horário de negociações pode ter alteração na BM&FBovespa.

Na véspera, o holofote do mercado voltou para a Grécia, diante da possibilidade do desbloqueio de uma parcela do empréstimo ser postergado para depois de novembro, embora o reaquecimento da discussão sobre o “fiscal cliff”, ou abismo fiscal, ainda gera incertezas entre os investidores sobre a economia dos Estados Unidos, sendo a atual pauta, após a reeleição de Barack Obama.

Ibovespa deve seguir indefinido
Já para essa sessão, o analista Leandro Klem, da Trader Brasil, estima que o índice vai ampliar as perdas, indo em busca dos 56.700 pontos – mínima desde o final de outubro -, embora a bolsa não mostre nenhum sinal de tendência definida. 

Ele sugere cautela para os investidores, já que o mercado está com uma forte pressão vendedora, que pode levar para pontos ainda mais baixo. Segundo ele, a temporada de resultados corporativos tem mostrado números bem fracos, o que pode estar contribuindo para essa aversão ao risco. 

Outro ponto ressaltado pelo analista é a falta de liquidez no mercado, por conta do descasamento de horário com as bolsas norte-americanas, o que gera ainda mais incertezas. 

Agenda de indicadores
Já entre as referências, os investidores devem monitorar a divulgação dos dados sobre confiança do consumidor e estoques do atacado nos Estados Unidos, além dos indicadores da China de produção industrial e vendas no varejo.

Por aqui, o destaque fica com a temporada de balanços corporativos, quando serão reportados os números do terceiro trimestre da: Rodobens, MPX (MPXE3), EzTec (EZTC3), Alpargatas (ALPA4), Light (LIGT3), Paraná Banco (PRBC4), Cesp (CESP6) e Wilson Sons (WSON11). Para demais resultados, confira a agenda do portal InfoMoney.