Direcional (DIRR3) fará recompra de ações, Copasa (CSMG3) anuncia PDV e CVC (CVCB3) tem rating elevado pela S&P

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta quarta-feira (12)

Felipe Moreira

Reprodução / Direcional

Publicidade

O radar corporativo desta quarta-feira (12) traz abertura de programa de recompra de ações da construtora Direcional (DIRR3).

Já Copasa (CSMG3) anunciou a implementação de novo Programa de Desligamento Voluntário Incentivado – PDVI.

A CVC (CVCB3), por sua vez, teve sua classificação de risco de crédito corporativo e de sua 4ª emissão de debêntures alterada pela agência S&P Global Ratings, que anteriormente era D, para brBB+ em escala nacional.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Embraer (EMBR3) e Saab assinam acordo para vender cargueiro C-390 à Força Aérea da Suécia.

O Carrefour (CRFB3) fechou acordo para redução de até R$ 1 bilhão no valor de aquisição do Grupo BIG Brasil.

A EDP Brasil (ENBR3) informou que o preço da OPA foi reduzido para R$ 23,73 após ajuste de dividendos.

Continua depois da publicidade

Confira mais destaques:

Direcional (DIRR3)

O Conselho de Administração da Direcional (DIRR3) aprovou o encerramento do programa de recompra de ações da companhia, anteriormente aprovado pelo Conselho de Administração em reunião realizada em 27 de dezembro de 2021 e a abertura de novo Programa de Recompra de Ações da companhia.

O plano de recompra tem por objetivo maximizar a geração de valor para o acionista por meio de uma administração eficiente da sua estrutura de capital.

A Companhia poderá adquirir até 10% das Ações em Circulação da companhia.

Copasa (CSMG3)

A Copasa (CSMG3) assinou acordo coletivo, junto aos Sindicatos que representam seus empregados, para implementação de novo Programa de Desligamento Voluntário Incentivado – PDVI.

O público-alvo do programa são empregados das categorias administrativa e operacional, com no mínimo 15 e 20 anos de
trabalho na empresa, respectivamente; empregados da especialidade de Leiturista, com qualquer tempo de trabalho na Copasa e empregados aposentados pelo INSS por tempo de contribuição, idade ou aposentadoria especial, cuja aposentadoria tenha sido concedida em data anterior ao início de vigência da Emenda Constitucional nº 103/2019, com qualquer tempo de trabalho na Copasa.

CVC (CVCB3)

A CVC (CVCB3) teve sua classificação de risco de crédito corporativo e de sua 4ª emissão de debêntures alterada pela agência S&P Global Ratings, que anteriormente era D, para brBB+ em escala nacional Brasil.

Conforme nota, essa classificação de risco de crédito emitida é a mais alta desde o início da pandemia de COVID-19, a qual a
Companhia não obtém desde 19 de agosto de 2021, quando passou a deter classificação brBB.

BR Properties (BRPR3)

A BR Properties ainda informou que a B3 deferiu a migração da companhia para o Segmento Básico. Dessa forma, a partir de 12 de abril 2023, as ações de emissão da empresa passam a ser negociadas no Segmento Básico da B3.

Americanas (AMER3)

A Americanas (AMER3) comunicou que a empresa e alguns de seus credores financeiros concordaram em suspender temporariamente suas disputas judicias em curso, de forma a permitir que as partes envolvidas foquem seus esforços na negociação de um Plano de Recuperação Judicial que seja aceitável para a maior parte dos credores da companhia e que viabilize o futuro operacional da Americanas.

A varejista espera que, durante esse período, as negociações culminem em um plano que conte com o apoio da maior parcela possível dos credores da Americanas e que possa ser submetido a uma Assembleia Geral de Credores dentro do prazo estabelecido pela legislação.

Embraer (EMBR3)

A fabricante de aeronaves Embraer (EMBR3) e a sueca Saab divulgaram a assinatura de um memorando de entendimento com o objetivo de fortalecer a colaboração entre as empresas em diversas áreas, especialmente em desenvolvimento de novos negócios e na área de engenharia.

As companhias irão trabalhar em parceria para posicionar o C-390 Millennium como a solução preferencial para os requisitos de transporte aéreo tático da Força Aérea da Suécia, além de avaliar a integração dos equipamentos e sistemas da Saab na aeronave multimissão C-390.

O anúncio ocorreu durante a LAAD, a principal feira de defesa e segurança da América Latina.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil (CRFB3) acordou com os principais vendedores de ações do Grupo BIG Brasil uma redução de preço no valor total de até R$ 1 bilhão, a ser ajustado pelo CDI, em favor da companhia, em contrapartida à quitação de determinadas obrigações.

Os montantes acordados serão pagos da seguinte forma: (i) uma parcela fixa de R$ 350 milhões foi paga à companhia nesta terça-feira (11); (ii) uma parcela de R$ 550 milhões, ajustada pelo CDI, será paga até 31 de maio de 2024 (data de pagamento final); e (iii) uma parcela variável, a ser calculada conforme métrica acordada entre as partes, no valor de até R$ 100 milhões, ajustada pelo CDI, será paga até a data de pagamento final.

EDP Brasil (ENBR3)

A EDP Brasil (ENBR3) comunicou que o novo preço por ação da oferta pública de aquisição OPA passou de R$ 24 para R$ 23,73 por ação.

O ajuste no preço da oferta foi motivado pela a declaração de dividendos no valor de R$ 152,5 milhões, equivalente a R$ 0,269366954 por ação, a serem pagos aos acionistas titulares de ações ordinárias da companhia na data-base de 11 de abril de 2023.

BrasilAgro (AGRO3)

A BrasilAgro (AGRO3) anunciou que negociou as partes remanescentes de uma fazenda de sua posse em Goiás R$ 417,8 milhões.

Comprada em 2007 pela companhia por R$ 76 milhões a Fazenda Araucária, localizada no município de Mineiros (GO), rendeu ao todo R$ 602 milhões para a companhia, com taxa interna de retorno (TIR) do projeto consolidado em reais de 16,2%.

As áreas da propriedade foram negociadas em sete diferentes contratos, e a primeira venda aconteceu em 2013. Nesta quarta-feira, a empresa vendeu 5.185 hectares por R$ 409,3 milhões, com prazo de pagamento estimado em dois anos. Outra parte, de 332 hectares, renderá R$ 8,5 milhões, que serão pagos em mais de dois anos.