Expert XP

Descrença no Bitcoin é o que cria a oportunidade de investimento, diz diretor da Hashdex

Para o CTO Samir Kerbage, a criptomoeda será “tão chata quanto o ouro em 10 anos”

Por  Paulo Alves -

As críticas ao Bitcoin (BTC) em meio ao “inverno das criptomoedas”, depois que a moeda digital perdeu mais de 60% do seu valor, só reforçam a ideia de que o investidor se depara atualmente com um bom momento para se expor à essa nova classe de ativos. A opinião é de Samir Kerbage, diretor de tecnologia da gestora Hashdex.

“A oportunidade do Bitcoin é a descrença, e a tese de que, daqui a 10 anos, ele será tão chato quanto o ouro, que fará parte do dia a dia das pessoas”, afirmou o executivo na tarde desta quinta-feira (4) em painel sobre os ciclos dos criptoativos na Expert XP. “Quando [o Bitcoin] virar consenso, já estará absorvido pelo preço”.

Para Kerbage, a queda atual não assusta quem está há mais tempo no mercado e já viu grandes variações, sejam disparadas em meio à empolgação do momento frente a um novo caso de uso, ou recuos bruscos apontados como comuns quando se trata de uma nova tecnologia.

“A Internet nos anos 1990 também evoluía em ciclos. Na bolha ‘.com’, tudo tinha um site ‘.com’, mas, na verdade, a Internet ainda não estava pronta para isso, não estava pronta para tantos casos de uso”, explicou.

O mesmo teria acontecido nos ciclos de 2013 a 2014 das criptomoedas, quando o Bitcoin começou a ser usado para pagamentos; e entre 2016 e 2018, quando surgiram as ofertas iniciais de moedas (ICOs). Em 2020 e 2021, foram novidades como NFTs e DeFi que impulsionaram o preço novamente, disse Kerbage.

“O que a gente vê em criptoativos desde o começo é isso. Vem a empolgação, as pessoas têm pressa, querem mudar o mundo hoje, criam uma onda especulativa. Depois vem a frustração. E aí surgem novas aplicações, e o ciclo volta mais alto da próxima vez”, conta. “Agora, os fundamentos nunca estiveram tão sólidos”.

O diretor da Hashdex reconhece que pouca gente entende fato os criptoativos, e que parte culpa está na linguagem impenetrável da classe de ativos. Ele, no entanto, considera que se trata de algo natural.

“[Cripto] ainda está longe do nosso dia a dia. Hoje você não usa, só se for um early adopter. Não é nada diferente do que era a Internet nos anos 1990″, apontou. No entanto, diz que a oportunidade não deve ser deixada de lado dado o tamanho da assimetria das criptos como investimento.

Everton Guelles, assessor de investimentos na SVN que também compôs o painel, ressaltou que “todos os ativos de risco estão em um momento volátil, da Nasdaq ao S&P 500”. Ele relembrou ainda que é importante prestar atenção no sentimento de mercado para tentar visualizar oportunidades.

“O Índice de Medo [e Ganância do Bitcoin] em setembro do ano passado estava em 80 pontos [de 100] e hoje está por volta de 15 pontos. Nesses momentos surgem as oportunidades. Não só em cripto, mas em todo tipo de ativo”, apontou.

“A forma inteligente de alocar nesse mercado é alocar de forma estratégica. Uma pequena aplicação no horizonte de investimento longo, de forma diversificada”, explicou Kerbage.

“Se você estiver errado, perde 1%. Mas, se estiver certo, o potencial de apreciação é de dezenas, senão centenas de vezes. É muito caro ter zero. Nao estou dizendo que já chegou no fundo do poço, mas se voce começar uma alocação agora, é um bom momento”, avaliou.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe