Galeria

Derrocada das bolsas e protestos: entenda a “tragédia grega” em 3 gráficos e 6 imagens

Entenda os efeitos do novo fracasso nas negociações dos gregos em imagens que mostram a abertura dos mercados europeus hoje e fotos do dia em um país em crise

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Neste fim de semana as reuniões do eurogrupo com a Grécia se provaram infrutíferas, tornando cada vez mais próximo um possível default dos gregos, que têm uma dívida de 1,6 bilhão com o FMI (Fundo Monetário Internacional) para pagar até amanhã. Caso não pague a dívida, as chances do país deixar a zona do euro são grandes, o que faria com que os gregos voltassem a usar o dracma, uma moeda que ficaria bastante desvalorizada por conta da crise do país e por não ter uma instituição do tamanho do BCE (Banco Central Europeu) para apoiá-la. 

Isso somado ao risco de contágio para outros países considerados “problemáticos” da União Europeia fizeram com que uma corrida bancária se iniciasse no país, com mais de 5 bilhões de euros sendo retirados das instituições financeiras do país na semana passada. Afinal, em uma eventual saída, ter moeda forte na mão pode ser uma boa forma de se proteger contra a depreciação futura. Até o dia 5, domingo, quando o povo grego irá às urnas votar em um referendo para decidir se o país aceitará as condições de austeridade pedidas pelos credores internacionais, os bancos estarão fechados e os caixas eletrônicos terão um limite de 60 euros para saque por pessoa, como medidas para impedir que os bancos quebrem com as retiradas massivas de dinheiro. Além disso, a bolsa de Atenas não abriu hoje nem abrirá durante o resto da semana. 

Segundo o economista da Elite Corretora, Hersz Ferman, os efeitos imediatos da crise grega são a desvalorização do euro, queda na confiança das empresas e consumidores, redução do nível de risco por parte dos investidores e possível queda da demanda europeia, afetando o preço de commodities e um possível stress por parte dos bancos europeus, que pode afetar o crédito no mundo inteiro. Para ele, isso pode fazer com que o BCE (Banco Central Europeu) decida aumentar o Quantitative Easing. “Creio que os desdobramentos disso, como a saída do país da Zona do Euro, pode trazer mais dúvidas e volatilidade aos mercados”, avalia o economista.

Aprenda a investir na bolsa

Confira o efeito da crise grega nos mercados nestes 3 gráficos:

Gráfico do índice alemão DAX, que teve hoje uma queda de 3,56%:

Gráfico do euro nesta segunda-feira, que teve uma forte queda na volta do feriado

Comparação dos desempenhos das bolsas europeias nesta segunda

Além disso, como uma imagem vale mais do que mil palavras, o InfoMoney selecionou seis fotos que ilustram a crise grega para além dos comentários de analistas e do noticiário de bolsa. Confira: 

Gregos nos caixas

PUBLICIDADE

Gregos tentam tirar dinheiro dos caixas eletrônicos apesar do limite de 60 euros por pessoa. 

Trader Grécia

Trader acompanha exaustivamente os gráficos de cotações, os terminais de notícias e o noticiário televisivo sobre a Grécia. 

Zona do euro

Gregos protestam contra a União Europeia e as medidas de austeridade fiscal.

Varoufakis e Syriza

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, se articula com legisladores do partido de extrema esquerda, Syriza. 

Pensionistas na Grécia

PUBLICIDADE

Aposentados e pensionistas se aglomeram nas portas fechadas do Banco Nacional da Grécia.

Tsipras

Bancas de jornal estampam o primeiro-ministro, Alexis Tsipras e alertam para a crise no país.