Forte impacto

Demissão de presidente do BC da Turquia abala ativos do país

Índice da Bolsa de Istambul perdeu mais de 8% em meio a circuit breakers que suspenderam as negociações, enquanto a lira caiu quase 15%

(Bloomberg) — Ações, títulos e a moeda da Turquia despencaram com a surpreendente demissão do presidente do banco central do país, o que aumentou o receio de uma nova onda de turbulência no mercado de câmbio.

Em uma das ondas vendedoras mais fortes dos últimos anos, o índice da Bolsa de Istambul perdeu mais de 8% em meio a circuit breakers que suspenderam as negociações. A lira caiu quase 15%, enquanto os rendimentos dos títulos da Turquia em moeda local e em dólar dispararam.

A turbulência destaca a preocupação de que a demissão de Naci Agbal – depois de apenas quatro meses no comando do banco central – pelo presidente turco Recep Tayyip Erdogan marque o fim de um período de ortodoxia política que melhorou brevemente o desempenho da lira após a queda de 20% no ano passado. O sucessor de Agbal, Sahap Kavcioglu, colunista e professor universitário, tem criticado os recentes aumentos das taxas de juros sob o comando de Agbal, incluindo o da semana passada, que foi maior do que o esperado.

Uma “névoa de volatilidade” retornou aos mercados turcos, escreveu Stephen Innes, estrategista-chefe de mercado global da Axicorp Financial Services, de Sydney, em relatório na segunda-feira. “O mercado estava na expectativa de uma política monetária mais normalizada desde novembro. Essa mudança é um grande golpe para essas esperanças.”

Com a desvalorização da lira, a moeda ficou a poucos pontos percentuais da mínima histórica atingida em 6 de novembro, na véspera da nomeação de Agbal.

A decisão de demitir Agbal, que buscava restaurar a credibilidade do banco central, desperta preocupações de que o país volte a reduzir prematuramente as taxas de juros. Antes de Agbal, investidores frequentemente criticavam a autoridade monetária da Turquia por ser muito rápida ao desfazer o aperto monetário e muito lenta para responder aos riscos, mais recentemente em agosto de 2018, quando a lira se desvalorizou cerca de 25%.

No comando do banco central, Agbal elevou os juros em cerca de 875 pontos-base desde novembro, incluindo o aumento de 200 pontos-base na quinta-feira, o que tornou a lira a melhor moeda para carry trade neste ano – a estratégia de tomar dólares emprestados para investir em moedas de maior rendimento – e trouxe o capital estrangeiro de volta aos mercados turcos.

A corrida para vender a moeda com a reabertura dos mercados na segunda-feira ofuscou o apoio à lira por bancos estatais, de acordo com um operador de câmbio que pediu para não ser identificado.

O ministro do Tesouro e Finanças da Turquia, Lutfi Elvan, disse na segunda-feira que o país continuará a apoiar o livre mercado e um regime de câmbio liberal. O governo também pretende priorizar a estabilidade de preços e as políticas fiscais apoiarão a autoridade monetária em seus esforços para controlar a inflação, disse na segunda-feira.

PUBLICIDADE

No domingo, o novo presidente do banco central prometeu usar ferramentas de política monetária de forma eficaz para garantir estabilidade de preços permanente. Kavcioglu também disse que as reuniões de política monetária acontecerão de acordo com o cronograma.

Kavcioglu é professor especialista em setor bancário na Universidade de Marmara, em Istambul, e colunista do jornal pró-governo Yeni Safak. O jornal criticou o último aumento da taxa de juros da autoridade monetária na primeira página na sexta-feira, dizendo que a decisão ignorou os 83 milhões de turcos e que prejudicaria o crescimento econômico, beneficiando principalmente os “donos de investimento especulativo em Londres”.

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.