Decisões de juros do BC e do Fed na “super quarta”, dados de emprego nos EUA e no Brasil: o que acompanhar na semana

Tudo o que o investidor precisa saber antes de operar na semana

Camille Bocanegra

Publicidade

Se, na última semana, os olhares se voltaram para PIB, fosse dos EUA ou IPCA-15 por aqui, agora o foco é a Super Quarta, que trará as decisões de juros do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) e do FOMC (órgão equivalente nos EUA, vinculado ao Federal Reserve).

Em uma semana mais curta pelo feriado de Finados, na quinta (2), ainda haverá espaço para mais divulgações da temporada de balanços de empresas brasileiras, que iniciaram suas apresentações de resultados na terça (24).

Na decisão de juros, as apostas do mercado se mantém no previsto pela ata da última reunião do Copom, que evidenciou a possibilidade de dois cortes de 50 pontos-base para 12,25% ao ano.

Ebook Gratuito

Como analisar ações

Cadastre-se e receba um ebook que explica o que todo investidor precisa saber para fazer suas próprias análises

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Antecipamos um corte de 50 pontos-base na taxa de referência Selic, para 12,25% ao ano, com as autoridades repetindo, na declaração, que preveem reduções da mesma magnitude nas próximas reuniões”, explica o Itaú. O Bradesco sustenta a mesma visão para o corte de 1 de novembro.

Se houver qualquer mudança na orientação, explica o Itaú, será no sentido de realização de dois cortes assimétricos, considerando a possibilidade de um corte maior agora e um corte mais moderado adiante. “Entendemos que os fundamentos atuais não justificam tal desaceleração”, reforça o banco.

Mesmo com o avanço da complexidade no cenário externo, com o aumento de juros de longo prazo nos EUA e o conflito no Oriente Médio, o Itaú segue apostando na melhora dos indicadores de inflação domésticos e a desvalorização moderada do real para manutenção dos cortes mencionados.

Continua depois da publicidade

“O equilíbrio de riscos para a inflação deve continuar sendo descrito como simétrico, com a possibilidade de as autoridades mencionarem o aumento das taxas de juros de longo prazo nos Estados Unidos e, internamente, um mercado de trabalho ainda aquecido”, considera.

Entre os indicadores, a semana se iniciará com divulgações da FGV de sondagem do comércio, sondagem de serviços e IGP-M, na segunda. “Esperamos um aumento mensal de 0,50%, levando a taxa anual a -4,6%, ante -6,0% em setembro”, comenta o Itaú sobre o IGP-M. No mesmo dia, o Banco Central divulgará nota à imprensa sobre política fiscal e serão apresentados os dados de geração de emprego formal do Caged.

“Conheceremos os dados de mercado de trabalho referentes a setembro (Caged na segunda e PNAD Contínua na terça), que ainda devem mostrar avanços significativos da massa salarial real”, pontua o Bradesco. O Itaú espera que os dados do Caged tragam criação de 205 mil empregos formais, após 220 mil em agosto.

Na terça, a agenda será marcada pela PNAD Contínua, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e pela divulgação de indicadores industriais pela CNI e de indicador de incerteza da economia pela FGV.

Na véspera do feriado, quarta-feira, a agenda fica cheia enquanto o mercado aguarda a decisão do Copom. Serão apresentados os dados de IPC-S, Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, PMI da Indústria da Transformação, além de divulgações do Banco Central, como índice commodities Brasil e fluxo cambial (este, semanal). A balança comercial de outubro também será divulgadas, com projeção DEPEC de US$ 9,1 bilhões.

Após o Dia de Finados, ainda será apresentado o IPC, pela FIPE, e os números de emplacamentos de veículos de outubro, pela Fenabrave.

No cenário político, o feriado poderia desacelerar discussões sobre medidas para aumentar receita. Após a fala de Lula sobre dificuldade de atingir déficit zero, contudo, é possível esperar que ainda sejam debatidos pontos relacionados ao plano de aumento de receita do governo.

No Banco Central, após uma semana sem notícias sobre o assunto, é possível que tenhamos novidades sobre quem ocupará os cargos dos diretores Fernanda Guardado (Assuntos Internacionais e Gerenciamento de Risco Corporativo) e Maurício Costa (Relações Institucionais, Cidadania e Fiscalização de Conduta).

Temporada de balanços no Brasil

O noticiário corporativo também ganha mais força nessa semana, mesmo com menos divulgações pelo feriado da quinta-feira.

Entre os resultados de destaque, atenção para Assai (ASAI3) e Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) que apresentarão seus balanços na segunda, e Ambev (ABEV3), Vamos (VAMO3), Carrefour (CRFB3), CCR (CCRO3), PRIO (PRIO3) após o fechamento na terça-feira, 31. Já Banco Pan (BPAN4) revela seus números na quarta-feira, antes da abertura dos mercados.

Confira abaixo os resultados da semana e o calendário completo clicando aqui:

Data Empresa Horário Teleconferência
30/10/2023 ASSAI APÓS FECHAMENTO 31/10/2023, às 11h
30/10/2023 INTELBRAS APÓS FECHAMENTO 31/10/2023
30/10/2023 IRANI ANTES ABERTURA 31/10/2023, às 9h
30/10/2023 P.ACUCAR-CBD APÓS FECHAMENTO 31/10/2023
30/10/2023 QUERO-QUERO APÓS FECHAMENTO 31/10/2023, às 9h
30/10/2023 ISA CTEEP APÓS FECHAMENTO 31/10/2023
31/10/2023 AMBEV ANTES ABERTURA 31/10/2023, às 12h30
31/10/2023 ELETROMIDIA APÓS FECHAMENTO 1/11/2023, às 10h
31/10/2023 VAMOS APÓS FECHAMENTO 1/11/2023
31/10/2023 AUREN APÓS FECHAMENTO 1/11/2023
31/10/2023 CARREFOUR BR APÓS FECHAMENTO 1/11/2023
31/10/2023 CCR SA APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
31/10/2023 CIELO APÓS FECHAMENTO 01/11/2023, às 11h30
31/10/2023 KEPLER WEBER APÓS FECHAMENTO 01/11/2023, às 10h
31/10/2023 LOG COM PROP APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
31/10/2023 MARCOPOLO APÓS FECHAMENTO 01/11/2023, às 11h
31/10/2023 OMEGAENERGIA APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
31/10/2023 PORTOBELLO APÓS FECHAMENTO 01/11/2023, às 14h
31/10/2023 PRIO APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
31/10/2023 RAIADROGASIL APÓS FECHAMENTO 01/11/2023, às 10h
31/10/2023 TELEFÔNICA BRASIL APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
31/10/2023 VULCABRAS APÓS FECHAMENTO 01/11/2023
01/11/2023 BANCO PAN ANTES ABERTURA 01/11/2023
03/11/2023 CVC BRASIL APÓS FECHAMENTO 06/11/2023, às 14h

FOMC e dados de emprego em destaque

Nos EUA, a semana se encerrou com a repercussão de dados econômicos apresentados, como o PCE, e o acompanhamento das tensões no Oriente Médio, que se intensificaram no final da sexta-feira.

Na agenda dos próximos dias, nos EUA, serão destaque o índice de confiança do consumidor de outubro, que será divulgado na terça-feira. Na quarta, a agenda fica movimentada, com dados de geração de vagas de trabalho com projeção de 135 mil da previsão do Bradesco, índice PMI da indústria, índice ISM da indústria da transformação. Também haverá a publicação do relatório JOLTS de setembro, que traz a abertura de vagas e a oferta de mão de obra no mercado de trabalho dos EUA. O destaque mesmo do dia fica com a decisão da política monetária anunciada pelo FOMC e a coletiva de imprensa de Jerome Powell na sequência. A expectativa é de manutenção da taxa de juros de referência em 5,5%.

Na quinta-feira, os dados de pedidos de auxílio desemprego serão conhecidos e, na sexta-feira, o protagonismo fica com o Nonfarm Payroll de outubro, o principal relatório de emprego da economia americana. A projeção do consenso LSEG é de que a taxa de desemprego de outubro seja de 3,8%. Também serão divulgados o PMI composto e o índice ISM do setor de serviços.

A temporada de resultados lá fora segue e, entre os destaques, haverá a divulgação de HSBC, Pfizer, AMD, Uber, Paypal e Toyota.

Além disso, ainda na agenda internacional, serão destaque as divulgações, na zona do Euro, dos dados de confiança do consumidor na segunda-feira e, na mesma manhã, o mesmo dado será apresentado pela Alemanha. A China divulgará o PMI Composto de outubro, com previsão do consenso LSEG de 5,02.

Na terça-feira, o destaque é a divulgação de PIB preliminar do 3º trimestre da Zona do Euro e Alemanha. O bloco também apresentará, no dia, o índice de preços ao consumidor. A China trará os dados de PMI Industrial – Caixin, de outubro e o Japão anunciará a decisão de política monetária.

O Reino Unido apresenta seu índice de PMI S&P Global da indústria da transformação, na quarta-feira, e, no dia seguinte, o Banco Central anunciará a decisão da política monetária. Na quinta-feira, a China divulgará seu índice PMI Composto – Caixin e a Zona do Euro trará seu índice de PMI S&P Global da indústria da transformação.

Na sexta-feira, o Reino Unido divulgará seu índice PMI Composto e a Zona do Euro apresenta os dados de desemprego.